Daily Archives: 13/06/2022

Lançamento de ‘Finnegans Wake – Vol. Único’, tradução de Donaldo Schüler, e publicado pela Ateliê Editorial, será realizado no “Bloomsday” da Casa das Rosas

James Joyce é, de certo modo, um “coletivo”: é um e, ao mesmo tempo, múltiplas vozes, que apresentam diversos estilos, estéticas, técnicas, modos de narrar e de compor. Obras como Ulysses e Finnegans Wake abrem-se a perspectivas como a da realização de traduções coletivas, em que cada episódio integrante do livro é atribuído a um tradutor diferente: esse é o caso do recém-lançado Finnegans Rivolta (Editora Iluminuras) e da nova edição de Ulisses, com lançamento previsto para setembro (Ateliê Editorial).

O BLOOMSDAY de 2022 – ano em que se completam 100 anos do lançamento do romance Ulysses, 35º em São Paulo, adota o tema “Coletivo Joyce” para mostrar a representação polifônica da vida e da humanidade criada por esse escritor cuja obra transcende os limites do indivíduo inserido em seu espaço e em seu tempo, para alcançar o universal e o eterno.

Leituras, performances – incluindo uma participação especial da atriz Bete Coelho – e apresentações de musica e dança irlandesa compõe o programa, que também evocará ressonâncias da obra de Joyce na obra de escritores brasileiros, entre eles Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Haroldo de Campos e Clarice Lispector.

O que é o Bloomsday

O Bloomsday é um evento tradicionalmente realizado em diversos países, dedicado à obra do escritor irlandês James Joyce. O Bloomsday paulistano – o mais longevo evento literário da cidade – foi criado por Haroldo de Campos e Munira Mutran em 1988, dando origem a eventos em diversas outras partes do país. Atividade realizada presencialmente, no jardim da Casa das Rosas. Sem necessidade de inscrição.

PROGRAMA – BLOOMSDAY 2022

CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Dia 15 de junho, quarta-feira

Às 16h:

Palestra sobre um episódio do Ulysses de James Joyce – por Marcelo Tápia

Gravada em vídeo, a palestra trata do sexto episódio de Ulysses, o “Hades”, relacionando-o com o Canto XI da Odisseia de Homero.

A atividade será transmitida pelo YouTube; o link poderá ser obtido no site da Casa Guilherme de Almeida.

Às 18h:

“100 anos de Ulysses

 Em parceria com o Consulado Geral da Irlanda, a Casa Guilherme de Almeida apresenta um programa especial: será exibido, na Sala Cinematographos, o filme inédito no Brasil 100 Anos de Ulisses, produzido pelos canais RTÉ e ARTE, idealizado pelo historiador Frank Callanan e dirigido por Ruán Magan. A obra desvenda, por meio de entrevistas e imagens de arquivo, os segredos de um dos livros mais impressionantes dos tempos modernos, que teve um impacto profundo e inédito na literatura e na cultura do século que se seguiu à sua publicação. O filme é falado em inglês, com legendas em português.

A atividade será realizada na Sala Cinematographos, no Anexo da Casa Guilherme de Almeida, disponibilizando-se 15 vagas para a assistência, a serem preenchidas por ordem de inscrição. Endereço: Rua Cardoso de Almeida, 1943 – Pacaembu, São Paulo.

Além da exibição do filme, o Consulado da Irlanda preparou um programa com falas de representantes da comunidade irlandesa em São Paulo, e uma apresentação musical.

CASA DAS ROSAS – ESPAÇO HAROLDO DE CAMPOS DE POESIA E LITERATURA

Dia 16 de junho, quinta-feira

No Dia de Boom, 16 de junho, a Casa das Rosas oferecerá a tradicional programação celebrativa da obra de James Joyce em seu jardim, no qual será montado um palco e uma tenda para a assistência, em frente ao Café do museu, que oferecerá opções de comes inspirados na culinária irlandesa, além de degustação de Irish Whiskey.

Diferentemente dos anos anteriores, em que o programa focalizava um episódio de Ulysses, a evento deste ano incluirá leituras de fragmentos de diversos capítulos do romance, buscando mostrar a sua diversidade.

Às 17h – Lançamento dos livros:

– Finnegans Rivolta – organização de Dirce Waltrick do Amarante (Editora Iluminuras)

– Finnicius Revém – tradução de Donaldo Schüler (Ateliê Editorial)

– James Joyce – Outra poesia, de Vitor Alevato do Amaral (Syrinx Editora)

– Ulysses – tradução de Caetano W. Galindo (nova edição, Companhia das Letras)

Às 18h – Apresentações:

– Abertura: Marcelo Tápia

– Saudação de Rachel Fitzpatrick, vice-cônsul da Irlanda no Brasil

– O Bloomsday e sua história no Finnegan’s Pub: homenagem ao taberneiro Mário Fuchs

– Leitura da tradução ao inglês do poema “Enjoycíada”, de Marcelo Tápia – por Rodrigo Bravo

– Evocação de Homero: performance sobre fragmento do Canto XI da Odisseia), em tradução de Marcelo Tápia, pelo tradutor

– Sobre a tradução coletiva Ulisses a 18 vozes, a ser lançada em setembro, e a reedição de Finnicius Revém (tradução de Donaldo Schüler) – por Henrique Xavier

– Leitura de fragmentos dos capítulos 1 e 12 de Ulisses a 18 vozes, por Aurora Bernardini e Henrique Xavier

– Uma canção de Ulysses, por Marcelo Tápia

– Evocação de Haroldo de Campos – Ressonâncias da obra de Joyce em autores brasileiros: Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Guimarães Rosa, Décio Pignatari, João Ubaldo Ribeiro, Clarice Lispector, Haroldo de Campos e Paulo Leminski – por Reynaldo Damazio, Julio Mendonça,  Geruza Zelnys e Donny Correia

– Apresentação musical: Edvaldo Santana

– Sobre a tradução de Ulysses em nova edição – pelo tradutor Caetano W. Galindo (em vídeo)

– Trecho do monólogo de Molly Bloom, em tradução de Caetano W. Galindo – por Bete Coelho

– Sobre o livro James Joyce – Outra poesia, pelo tradutor Vitor Alevato do Amaral

– Apresentação musical: Cid Campos

– Sobre a tradução coletiva Finnegans Rivolta – por Dirce Waltrick do Amarante (em vídeo)

– Leitura de fragmento de Finnegans Wake – por John Milton (em inglês) e por Vitor Alevato do Amaral (em português)

– Apresentação de música e dança irlandesas tradicionais – por Tunas Celtic Band e Letícia Pires

A atividade do dia 16 será realizada presencialmente, no jardim da Casa das Rosas. Endereço: Av. Paulista, 37 – Bela Vista, São Paulo. Sem necessidade de inscrição.