Daily Archives: 17/06/2022

Ateliê Editorial no VII Salão do Livro Político – que começa nesta segunda-feira; Marisa Midori Deaecto participa de debate na programação

Ateliê Editorial estará no VII Salão do Livro Político, que volta ao formato presencial em 2022. O evento acontece entre 20 e 24 de junho, com debates e feira de livros presenciais no teatro Tucarena da PUC-SP de 20 a 23 de junho, seguido de um dia de atividades online na sexta-feira 24. A programação contará com um curso e mais de quinze mesas de debates sobre democracia na América Latina, literatura e gênero, ecologia, entre outras atividades. A Ateliê Editorial participa de forma on-line, pelo site, com 50% de desconto em seus livros com temáticas sociais e políticas. O formato virtual será de 20 a 26 de junho, O desconto será aplicado diretamente no carrinho ao concluir a sua compra. O Salão do Livro Político é uma realização Autonomia Literária, Alameda, Anita Garibaldi, Boitempo e PUC-SP.

A pesquisadora, professora e autora Marisa Midori Deaecto participa da programação, na segunda-feira (20), às 11h, do debate cujo tema será Livros sob ataque: como e por que defender o mercado editorial, o encontro será online, pelo Youtube, no do Salão do Livro Político.

Marisa Midori Deaecto

Marisa Midori Deaecto é professora Livre-Docente em História do Livro, na Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP), com estágios em diversas instituições estrangeiras de nível superior. Formou-se em História e doutorou-se em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH-USP). Em 2017, recebeu o título de Doutora Honoris Causa pela Universidade Eszterházy Károly, Eger (Hungria), por suas contribuições à difusão da história do livro e das bibliotecas em uma perspectiva transnacional. Pela Ateliê Editorial, faz parte, ao lado de Plinio Martins Filho, da editoração da revista “Livro”, do Núcleo de Estudos do Livro e da Edição (NELE), e publicou as obras Bibliodiversidade e Preço do Livro, História de um Livro, Bibliomania – junto com Lincoln Secco -, e Edição e Revolução: Leituras Comunistas no Brasil e na França – ao lado de Jean-Yves Mollier. Todas as obras estarão com desconto no site durante o Salão do Livro Político. Midori Deaecto já recebeu os prêmios Jabuti da CBL (1º lugar em Comunicação) e Sérgio Buarque de Holanda, outorgado pela Fundação Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, na categoria Melhor Ensaio Social.

Sobre o VII Salão do Livro Político

Em sua sétima edição, o Salão do Livro Político volta ao formato presencial em 2022. O evento acontece presencialmente entre 20 e 23 de junho, com debates e feira de livros presenciais no teatro Tucarena da PUC-SP, seguido de dois dias de atividades online nos dias 24 e 25. A programação contará com um curso e mais de quinze mesas de debates sobre democracia na América Latina, literatura e gênero, ecologia e questões raciais, dentre outros temas. 

As palestras serão transmitidas ao vivo pelos canais de YouTube do Salão do Livro Político, da PUC-SP, da Boitempo, da Autonomia Literária e de entidades apoiadoras.

Entre os convidados, os destaques são a ex-presidenta Dilma Rousseff, Glenn Greenwald, Manuela D’Ávila, Don L, Guilherme Boulos, Sonia Guajajara, Ricardo Antunes, Preta Ferreira, Fernando Morais, Elias Jabbour, Ladislau Dowbor, Valério Arcary, Juliane Furno, Luiz Bernardo Pericás, Josélia Aguiar, Jones Manoel, Sérgio Amadeu e Álvaro García Linera, vice-presidente da Bolívia entre 2006 e 2019, que participará da mesa de abertura “Resgatando a democracia na América Latina”, a ser realizada no Tuca. 

O evento contará com lançamentos exclusivos, sessões de autógrafos após cada mesa com os participantes e alguns convidados – como Renato Janine Ribeiro (dia 23, 18h), Martin Cesar Feijó (dia 22, 18h), entre outros – e uma feira de livros com mais de 70 editoras independentes.

PROGRAMAÇÃO – DEBATES

SEGUNDA (20/06)

16h30-18h

Literatura, rap e política: o microfone como arma

Don L, Preta Ferreira e Mariana Felix, mediação de Emerson Alcalde 

19h-21h

Abertura: Resgatando a democracia na América Latina, no Teatro Tuca

Dilma Rousseff, Álvaro García Linera, Guilherme Boulos e Manuela D’Ávila, mediação de Ivana Jinkings 

TERÇA (21/06)

11h – 12h30

Raça, classe e gênero: o front antifascista

Tamires Sampaio, Carlos Montaño, Letícia Parks e Deivison Faustino, mediação de Edson França

16h30 – 18h

A república dos militares: como acabar com o partido fardado

Piero Leirner, Jan Rocha e Rodrigo Lentz, mediação de Bia Abramo

19h-21h 

Hackeando o neofascismo para salvar a democracia

Pedro Serrano, Glenn Greenwald, Sergio Amadeu e Renata Mielli, mediação de Ana Mielke

QUARTA (22/06)

11h-12h30

Biografias: vidas que mudaram o Brasil

Fernando Morais, Camilo Vanucchi, Joselia Aguiar e Luiz Bernardo Pericás, mediação de Osvaldo Bertolino 

16h30-18h 

Ecologia sem luta de classes é jardinagem

Victor Marques, Murillo Van Der Laan e Sonia Guajajara, mediação de Luma Ribeiro Prado

19h-21h 

O retorno da onda rosa na América Latina?

Ana Prestes, Juliano Medeiros, Diana Assunção e Valério Arcary, mediação de Debora Baldin

QUINTA (23/06)

11h – 12h30 

Como combater a inflação e o desemprego

Ana Paula Salviatti, Ladislau Dowbor e Pedro Rossi, mediação de Rosa Marques

16h30-18h 

Como o imperialismo e a cruzada anticomunista moldaram nosso mundo

José Reinaldo Carvalho, Vincent Bevins e Juliane Furno, mediação de Pedro Marin

19h – 21h

Capitalismo de crise e crise das esquerdas

Helena Silvestre, Ricardo Antunes, Ludmila Abílio e Gabriel Tupinamba, mediação de Douglas Barros

PROGRAMAÇÃO EXCLUSIVAMENTE ONLINE (20, 24 e 25/06)

SEGUNDA (20/06)

11h – 12h30 (online)

Livros sob ataque: como e por que defender o mercado editorial

Marisa Midori e Cecilia Arbolave, mediação de Maria Borin

SEXTA (24/06)

11h – 12h30

Debate online: Golpe de Estado e neofascismo no século XXI 

Pedro Camarão, Iuri Tonelo e Newton Bignotto, mediação de Bianca Pyl

14h30-16h

Debate online: Astrojildo Pereira: o comunista que beijou a mão de Machado de Assis 

Dainis Karepovs, Gilberto Maringoni e José Luiz Del Roio, mediação de Renata Cotrim

16h30 – 18h

Debate online: Sexualidade e revolução 

Marília Moschkovich, Maíra Marcondes Moreira e Renan Lira, mediação de Kaic Ribeiro

SÁBADO (25/06)

11h – 12h30

Debate online: Pensar (e combater) o fascismo hoje

João Bernardo, mediação de Felipe Musetti

15h – 16h30

Fascismo e liberalismo 

João Alberto da Costa Pinto e Leo Vinicius, mediação de Rogério Duarte

PROGRAMAÇÃO DO CURSO

Revoluções: um outro mundo é possível

de 20 a 23/06, das 14h às 16h no Teatro Tucarena

SEGUNDA (20/06)

Revolução Africana, com Jones Manoel

TERÇA (21/06)

América Latina revolucionária com Osvaldo Coggiola

QUARTA (22/06)

Revolução Russa com Marly Vianna

QUINTA (23/06)

Revolução Asiática com Elias Jabbour

Inscrições: https://eventos.pucsp.br/viislp_minicurso/

Serviço

VII Salão do Livro Político 

Endereço: Tucarena (PUC-SP) – R. Monte Alegre, 1024 – Perdizes, São Paulo – SP, 05014-001

Data: 20 a 24 junho

Feira do livro presencial: 20 a 23 de junho

Feira do livro online: 20 a 26 de junho

Site: https://salaodolivropolitico.com.br

Editoras participantes

34

Alameda

Anita Garibaldi

Artes do Tempo

Ateliê Editorial

Autêntica

Autonomia Literária

Bambual 

Bazar do Tempo

Boitempo

Cartola 

Cobogó

Companhia das Letras

Contracorrente

Cortez

Câmara Periférica do Livro 

Dandara

edições 100/cabeças 

Edições Sesc

Editora Da Vinci 

Editora FGV

Editora Unesp

Educ

Edusp 

Elefante

Estação Liberdade

Expressão Popular

FiloCzar

Fósforo

Funilaria

Geração Editorial

Graphia

Hedra

Iluminuras

Iskra

Jandaíra

Jujuba

Kotter

LavraPalavra

Letra Selvagem

LiteraRUA

Livros da Matriz

Lote 42

Lutas Anticapital

Mocho

Mundaréu

n-1 

Nova Alexandria

Nova Cultura

Nua

Oficina Raquel

ÔZé

Perspectiva

Pulo do Gato

Quatro Cinco Um

Reformatório

Ruptura

sobinfluencia

Sundermann

Temporal

Tinta-da-China Brasil

Todavia

Ubu

Urbana

Veneta

35º Bloomsday paulistano teve como tema ‘Coletivo Joyce’, com lançamento da nova edição de ‘Finnegans Wake’, da Ateliê Editorial, e participação de Henrique P. Xavier, coordenador da obra ‘Ulisses a 18 vozes’ 

Henrique P. Xavier fala sobre a obra ‘Ulisses a 18 vozes’ – nova tradução do romance por dezoito renomados autores-tradutores

Na última quinta-feira, 16 de junho, aconteceu o 35º Bloomsday em São Paulo. O evento, que foi realizado na Casa Guilherme de Almeida e Casa das Rosas, contou com uma programação variada, com apresentações musicais, recital de trechos das obras joyciana, palestras, exibição de filme, a história do Bloomsday e lançamento de livros, que contou com as obras da Ateliê Editorial, como a nova edição – volume único – de Finnegans Wake, com tradução de Donaldo Schüler, e, também do autor, os ensaios literários Joyce Era Louco?, sobre a vida e obra do autor irlandês.

‘Finnegans Wake’ com desconto no Bloomsday

No ano do centenário do romance Ulysses, a 35º edição em São Paulo, adotou o tema “Coletivo Joyce” para mostrar a representação polifônica da vida e da humanidade criada por esse escritor cuja obra transcende os limites do indivíduo inserido em seu espaço e em seu tempo, para alcançar o universal e o eterno. A abertura foi realizada pelo poeta e tradutor Marcelo Tápia e teve saudação de Rachel Fitzpatrick, vice-cônsul da Irlanda no Brasil, que destacou a importância de celebrar a obra de James Joyce no Brasil e a troca de cultura entre os países, reconhecendo a paixão dos brasileiros pelos textos do autor irlandês, assim como o desafio, a dificuldade e o valor dos tradutores e as tradutoras às obras joycianas.

Henrique P. Xavier fala ao público sobre a obra ‘Ulisses a 18 vozes’ – nova tradução do romance por dezoito renomados autores-tradutores

Convidado da programação, o artista, tradutor e coordenador da ‘Ulisses a 18 vozes’ – nova tradução do romance por dezoito renomados autores-tradutores – Henrique P. Xavier, que comentou sobre o processo de desenvolvimento do projeto literário e do motivo de convidar diversos nomes para compor a obra, que tem previsão de lançamento em setembro pela Ateliê Editorial. Segundo Xavier: “Imagina se um livro tivesse uma alma? Sendo que uma parte dessa alma é musical, retórica, feminina, shakespeariana, como imaginaríamos esse livro encarnado? A alegria que eu tive foi pensar uma nova edição de Ulisses e ter um Brasil de diferentes almas que encontrassem a sua alma gêmea e contribuíssem para a tradução dos episódios. Cada capítulo é diferente. Os tradutores convidados recriaram os seus próprios estilos e linguagens, a ideia de coletivo de repensar uma tradução”. No final, Henrique P. Xavier e Aurora Bernardini – uma das tradutoras convidadas da obra – realizaram a leitura de fragmentos dos capítulos 1 e 12 de Ulisses a 18 vozes.

Marcelo Tápia, organizador do Bloomsday 2022

O volume tem como convidado os tradutores e as tradutoras e seus respectivos capítulos: Aurora Fornoni Bernardini (Telêmaco); Dirce Waltrick do Amarante (Nestor); Julián Fuks (Proteu); Luisa Geisler (Calipso); Guilherme Gontijo Flores (Os Lotófagos); Carlos de Brito e Mello (Hades); João Adolfo Hansen (Éolo); Alípio Correia de Franca Neto (Os Lestrigões); José Roberto O’Shea (Cila e Caribde); Eclair Antônio Almeida Filho (As Rochas Ondulantes); Willy Corrêa de Oliveira (As Sereias); Henrique Piccinato Xavier (O Ciclope); Antonio Quinet (Nausícaa); Élide Valarini Oliver (Gado do Sol); Donaldo Schüler (Circe); Piero Eyben (Eumeu); Denise Bottmann (Ítaca) e Luci Collin (Penélope).

O Bloomsday 2022 também proporcionou, entre outros, um trecho do monólogo de Molly Bloom, por Bete Coelho, apresentações musicais de Cid Campos e Edvaldo Santana, Leitura de fragmento de Finnegans Wake – por John Milton e Vitor Alevato do Amaral, homenagem ao taberneiro Mário Fuchs, leitura da tradução ao inglês do poema “Enjoycíada”, de Marcelo Tápia, por Rodrigo Bravo, e apresentação de música e dança irlandesas tradicionais, por Tunas Celtic Band e Letícia Pires.

Maria Lúcia e os livros da Ateliê Editorial

BLOOMSDAY

O Bloomsday é um evento tradicionalmente realizado em diversos países, dedicado à obra do escritor irlandês James Joyce. O Bloomsday paulistano – o mais longevo evento literário da cidade – foi criado por Haroldo de Campos e Munira Mutran em 1988, dando origem a eventos em diversas outras partes do país. James Joyce (1882-1941) nasceu em Dublin e foi polêmico por sua literatura de vanguarda. Em 1922, ganha notoriedade mundial por Ulisses, considerado desde então um novo paradigma para o romance.