Ateliê Editorial anuncia para este ano a reedição da obra ‘O Século da Canção’, de Luiz Tatit

Esgotado há um bom tempo, a Ateliê Editorial anunciou a reedição neste ano, seguindo a nova ortografia, da obra O Século da Canção, de Luiz Tatit.

Publicado originalmente em 2004, o livro apresenta uma leitura do nascimento, consolidação e progresso da canção popular brasileira ao longo do século XX, elegendo os períodos, os movimentos, as obras e os artistas que, de acordo com os critérios adotados, foram decisivos para configurar nossa singularidade sonora.

Luiz Tatit descreve o empenho dos cancionistas das primeiras décadas para chegar a uma canção cujo entrosamento entre melodia e letra fosse o mais convincente possível, não só como peça artística, mas também como produto de consumo. Explica que a formação do samba decorre desse esforço de composição, de busca dos acentos rítmicos ideais para uma ampla flexibilização do andamento musical (mais rápido ou mais lento), tanto para veicular conteúdos de prazer como de dor.

Os fenômenos bossa nova e tropicalismo também são minuciosamente abordados em sua dupla dimensão: como intervenções históricas na música brasileira, mas sobretudo como forças extensas que se tornaram parâmetros estéticos de constante atuação cultural em todos os períodos a partir dos anos 1960.

Ao examinar, por fim, o vasto leque das dicções que caracterizou a sonoridade brasileira nos decênios derradeiros do século, o autor sugere que, em princípio, todo e qualquer estilo de canção, independente da procedência e do grau de prestígio que lhe sejam atribuídos, pode ser decisivo para a compreensão de uma época musical. Daí a necessidade de frequentes releituras que identifiquem novos matizes no interior do mesmo processo evolutivo.

LUIZ TATIT

Luiz Tatit

Luiz Tatit é músico e professor Titular do Departamento de Linguística da FFLCH-USP. Pela Ateliê Editorial publicou os livros Análise Semiótica Através das LetrasElos de Melodia & LetraO Século da Canção, Todos Entoam – Ensaios, Conversas e Lembranças e Semiótica à Luz de Guimarães Rosa. Já lançou os CDs Felicidade (1998), O Meio (2000), Ouvidos Uni-vos (2005) e Rodopio (2007), todos pelo selo Dabliú. Tem 7 álbuns autorais e 3 DVDs lançados, e suas composições foram gravadas importantes intérpretes da música brasileira, entre os quais, Ná Ozzetti, Zélia Duncan, Ney Matogrosso, Leila Pinheiro, Vânia Bastos, Daúde e Jussara Silveira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *