Monthly Archives: fevereiro 2022

Em março, lançamento e sessão de autógrafos da obra ‘Bibliodiversidade e Preço do Livro’ na Livraria da Tarde

A Ateliê Editorial e a Livraria da Tarde realizam o lançamento e sessão de autógrafos da obra Bibliodiversidade e Preço do Livro, organizada pela professora e pesquisadora Marisa Midori Deaecto, com a colaboração de Patricia Sorel e Livia Kalil. O evento acontece na quarta-feira (9/3), a partir das 18h, na Livraria da Tarde (R. Cônego Eugênio Leite, 956 – Pinheiros, São Paulo – SP). A obra já está à venda no site da editora (acesse aqui).

Lei Lang, na França. Lei do Preço Único ou Lei do Preço Fixo, em diversas partes do mundo. No Brasil, Lei Cortez. E – por que não? – Lei da Bibliodiversidade. A proposta se dirige a quem compreenda o significado profundo de uma política de regulação do preço do livro, no momento em que o e-commerce se insinua com todas as suas artimanhas sobre os consumidores do planeta. Uma medida salvacionista? Sem dúvida! Uma lei que pressupõe a regulação do preço do livro se destina, certamente, a salvar hábitos tão antiquados quanto os de comprar livros em livrarias, ou de ler em códices impressos. Mas, acima de tudo, a medida deve ser recebida como um gesto de reverência à bibliodiversidade, o que pressupõe a luta pela sobrevivência dos diferentes suportes e tecnologias de leitura, tanto quanto dos profissionais e dos leitores que participam da cadeia do livro e da cultura escrita, de modo mais abrangente.

Participam do livro Adalberto Ribeiro, Alexandre Martins Fontes, Ana Elisa Ribeiro, Bernardo Gurbanov, Gustavo Piqueira, Haroldo Ceravolo Sereza, Igor Venceslau, Jack Lang, Jean Paul Prates, Jean-Guy Boin, Jean-Yves Mollier, João Varella, Larissa Mundim, Lívia Kalil, Marcus Teles, Marília de Araujo Barcellos, Marisa Midori Deaecto, Nicolas Roche, Nuno Medeiros, Patricia Sorel, Paulo Verano, Ricardo Borges, Rui Campos e Vitor Tavares.

Aniversário da Ateliê Editorial – Ofertas especiais no site da editora

Fevereiro é o mês de aniversário da Ateliê Editorial, mas quem ganha o presente são os leitores e as leitoras. Confira nossa seleção de livros com preços especiais.

São ofertas por pouco tempo. Aproveite!

Acesse o site www.atelie.com.br

ATENÇÃO: durante o mês de fevereiro, além das ofertas de aniversário, na compra de dois ou mais livros do catálogo (*exceto ofertas, promoções e outlet), ganhe 40% de desconto no carrinho.

François Rabelais na Ateliê Editorial

A Ateliê Editorial anuncia para este ano, em coedição Editora Unicamp, a publicação das obras de François Rabelais:  A Vida muito Horrífica do Grande Gargantua, Pai de Pantagruel e Pantagruel, Rei dos Dipsodos, Restituído do seu Natural com os Feitos e Proezas Espantosas.

Terceiro e Quarto O Livro dos Fatos e Ditos Heroicos do Bom Pantagruel, com a tradução, introdução, notas e comentários de Élide Valarini Oliver, assim como ilustrações de Gustave Doré. As obras também são coedições Editora Unicamp e já estão à venda no site da editora (CLIQUE AQUI).

François Rabelais (1494-1553) foi escritor, padre e médico francês do Renascimento. Ficou para a posteridade como o autor das obras-primas cômicas Pantagruel e Gargântua, que exploravam lendas populares, farsas, romances, bem como obras clássicas. O escatologismo foi usado para condenação humorística. A exuberância da sua criatividade, do seu colorido e da sua variedade literária asseguraram a sua popularidade. 

O Terceiro Livro dos Fatos e Ditos Heroicos do Bom Pantagruel

Parnuge, companheiro de Pantagruel, quer se casar. Mas tudo indica que, se o fizer, será traído, roubado e espancado pela esposa. Então, eles vão consultar alguns especialistas: um mago, um médico, um louco, um filósofo, entre outros. Esta premiada tradução recria a riqueza da sátira rabelaisiana, com seus sofisticados jogos de palavras. No estudo introdutório, a professora e escritora Élide Oliver analisa a vida e a obra do autor, a época em que ele viveu e as sutilezas de seu estilo.

O Quarto Livro dos Fatos e Ditos Heroicos do Bom Pantagruel

O Quarto Livro dos Fatos e Ditos Heroicos do Bom Pantagruel, o mais radicalmente satírico de toda a obra de Rabelais, reflete, na história de sua publicação, os perigos aos quais o próprio Rabelais se expôs, no fim da vida. Uma primeira edição parcial foi publicada em 1548, em Lyon. Em 1552, sai a edição definitiva, em Paris. Ao mesmo tempo, correm boatos de que Rabelais havia sido levado “acorrentado” à prisão. Nada se prova, mas o famoso médico e escritor desaparece, e morrerá, em circunstâncias desconhecidas, no ano seguinte. Teria presumíveis 70 anos, ou talvez mesmo 59. O livro tem como pressuposto continuar as aventuras do Terceiro Livro, onde Panurge busca resolver a dúvida se deve casar-se ou não.

Aniversário da Ateliê Editorial – Ofertas especiais no site da editora

Fevereiro é o mês de aniversário da Ateliê Editorial, mas quem ganha o presente são os leitores e as leitoras. Confira nossa seleção de livros com preços especiais.

São ofertas por pouco tempo. Aproveite!

Acesse o site www.atelie.com.br

ATENÇÃO: durante o mês de fevereiro, além das ofertas de aniversário, na compra de dois ou mais livros do catálogo (*exceto ofertas, promoções e outlet), ganhe 40% de desconto no carrinho.

Morre Arnaldo Jabor, aos 81 anos

Arnaldo Jabor (Foto: Bob Wolfenson)

Morreu, nesta terça-feira, 15 de fevereiro, o cineasta e jornalista Arnaldo Jabor, aos 81 anos.

Carioca nascido em 1940, filho de um oficial da Aeronáutica e uma dona de casa, o cineasta e jornalista Arnaldo Jabor já foi técnico de som, crítico de teatro, roteirista e diretor de curtas e longas metragens.

Formado no ambiente do Cinema Novo, participou da segunda fase do movimento, que buscava analisar a realidade nacional, inspirando-se no neorrealismo italiano e na nouvelle vague francesa.

Abordando os mais variados temas (cinema, artes, sexualidade, política nacional e internacional, economia, amor, filosofia, preconceito), suas intervenções “apimentadas” na televisão e em suas colunas lhe renderam admiradores e muitos críticos.

Trechos extraídos da biografia do site oficial de Arnaldo Jabor (Leia na íntegra aqui)

Clássico de John Ruskin, ‘A Lâmpada da Memória’ ganha nova reimpressão pela Ateliê Editorial

A Ateliê Editorial realiza a reimpressão da obra A Lâmpada da Memória, de John Ruskin, traduzida por Maria Lucia Bressan Pinheiro. O livro já está à venda no site da editora (CLIQUE AQUI).

Ruskin foi o principal teórico inglês da preservação no século XIX. Expoente da crítica socialista às mazelas do capitalismo industrial, ele contribuiu para importantes reformas sociais, urbanísticas e de proteção ambiental. Suas ideias fundamentaram o Movimento Antirrestauração, que defende o cuidado e a manutenção constantes dos monumentos. Apesar da aversão de muitos ao seu romantismo oitocentista, o pensamento de Ruskin continua pertinente ao debate arquitetônico atual.

John Ruskin (Londres, 1819 – 1900) foi escritor, mais lembrado por seu trabalho como crítico de arte e crítico social britânico. Foi também poeta e desenhista. Os ensaios de Ruskin sobre arte e arquitetura foram extremamente influentes na era Vitoriana, repercutindo até hoje.

Cem anos da Semana de Arte Moderna: conheça a edição de colecionador de ‘Macunaíma’, da Ateliê Editorial

Há cem anos, no Teatro Municipal de São Paulo, começava a Semana de Arte Moderna, rompendo e transformando a cultura brasileira para sempre.

Um de seus maiores expoentes foi o escritor Mário de Andrade. E para celebrar essa data, marcada na noite de segunda-feira de 13 de fevereiro de 1922, a Ateliê Editorial apresenta a sua incrível edição de colecionador do clássico ‘Macunaíma’ (CLIQUE AQUI).

A tiragem é limitada e numerada. Gustavo Piqueira, da Casa Rex, um dos mais premiados designers gráficos do País, é o responsável pelo projeto gráfico e ilustrações da edição. Piqueira, conhecido por testar os limites do livro impresso, chegou ao formato “dobra-desdobra”, que permite uma leitura tanto “bem comportada”, quanto “uma espécie de pavão escandaloso de papel”, como ele mesmo define, mutabilidade que tem relação com a própria natureza da obra de Mário de Andrade. São 16 ilustrações impressas em serigrafia e coladas manualmente no livro. O texto da presente edição foi estabelecido pelo Prof. José de Paula Ramos Jr., tomando como base o da última edição em vida do autor (Martins, 1944), mas confrontado com o da segunda (José Olympio, 1937) e beneficiado pelas sistemáticas consultas aos textos da referida edição crítica (ALLCA XX, 1997) e da fidedigna (Agir, 2007). O texto aqui apresentado, no entanto, caracteriza-se, principalmente, pela atualização ortográfica, conforme o Acordo de 1990.

A obra ganha, com esta edição especial, uma leitura que transcende a mera ilustração, para constituir-se em experiência estética de um livro em que a literatura, as artes plásticas e as artes editoriais se interpenetram.

Mário de Andrade foi poeta, escritor, crítico literário, musicólogo, folclorista, ensaísta brasileiro. Ele foi um dos pioneiros da poesia moderna brasileira com a publicação de seu livro Pauliceia Desvairada em 1922. Andrade exerceu uma grande influência na literatura moderna brasileira e, como ensaísta e estudioso, foi pioneiro no campo da etnomusicologia. Sua influência transcendeu as fronteiras do Brasil. Foi figura capital na Semana de Arte Moderna de 22.  

Ateliê Editorial publica nova edição de ‘O Século da Canção’, de Luiz Tatit

A canção brasileiro do século XX proporcionou diversas manifestações e interpretações que são executadas e referenciadas por décadas. Nossa canção incorporou ao longo desse período uma grande variedade de fisionomias que, embora não trouxesse qualquer obstáculo para o pronto reconhecimento da maioria dos ouvintes, tornou trabalhosa sua definição artística, sobretudo, sua apreciação crítica. E é nesse sentido que O Século da Canção, de Luiz Tatit, caminha para trazer a história desses gêneros musicais.

A canção é peça artística, mas também produto de consumo. Sob esse viés, o linguista e músico Luiz Tatit analisa o nascimento e a evolução da canção popular brasileira no século XX. O autor elege alguns períodos, movimentos e artistas importantes para formar nossa singular sonoridade. Merecem destaque a bossa nova e o tropicalismo: esses movimentos não só alcançaram expressivo sucesso comercial, mas se tornaram paradigmas estéticos da música produzida no país a partir dos anos 1960.

Este livro apresenta uma leitura do nascimento, consolidação e progresso da canção popular brasileira ao longo do século XX, ao examinar a diversidade da sonoridade brasileira, comportando-se – assim destacado no texto de apresentação da obra – “como um organismo mutante que ludibriava os observadores por jamais se apresentar com o mesmo aspecto. Onde o comentarista procurava coerência melódica, encontrava fragmentos entoativos independentes. Onde procurava soluções poéticas, deparava-se com a fala crua. Quando examinava o ritmo de fundo, a informação estava na melodia de frente. Quando focalizava o arranjo, este era apenas um recurso a serviço do canto. Quando a autenticidade tornava-se um valor, sobressaiam-se as influências estrangeiras. Quando se esperava maior complexidade harmônica, reentravam em cena os três acordes básicos e nem por isso a canção perdia o seu encanto. Se o julgamento recaía sobre o conteúdo da letra, vingavam as músicas para dançar. Se a novidade estética tornava-se um critério de avaliação, predominavam as fórmulas padronizadas de sucesso comercial”.

Esta terceira edição com ortografia atualizada é publicada pela Ateliê Editorial de modo a estudar esse importante século para a cultura brasileira, um livro referencial que formula outros critérios para uma reavaliação do desenvolvimento da canção brasileira no século XX.

Luiz Tatit é músico e professor Titular do Departamento de Linguística da FFLCH-USP. Pela Ateliê Editorial publicou os livros Análise Semiótica Através das LetrasElos de Melodia & LetraO Século da Canção, Todos Entoam – Ensaios, Conversas e Lembranças e Semiótica à Luz de Guimarães Rosa. Já lançou os CDs Felicidade (1998), O Meio (2000), Ouvidos Uni-vos (2005) e Rodopio (2007), todos pelo selo Dabliú.

Aniversário da Ateliê Editorial – Ofertas especiais durante o mês de fevereiro

Fevereiro é o mês de aniversário da Ateliê Editorial, mas quem ganha o presente são os leitores e as leitoras. Confira nossa seleção de livros com preços especiais. São ofertas por pouco tempo.

Acesse aqui e confira a promoção

ATENÇÃO: durante o mês de fevereiro, além das ofertas de aniversário, na compra de dois ou mais livros do catálogo (*exceto ofertas, promoções e outlet), ganhe 40% de desconto no carrinho.

Plinio Martins Filho: Aníbal Bragança – Herói do Livro

Aníbal Bragança (1944-2022)

Notícia que deixa triste não apenas os familiares, amigos e todos que amam os livros: no dia 4 de fevereiro faleceu aos 77 anos, em Niterói – RJ, Aníbal Bragança.

Português de Santa Maria da Feira, chegou ao Brasil aos 12 anos e construiu uma vida voltada aos livros: da criação da Livraria Encontro à direção da Editora da Universidade Federal Fluminense, passando pela fundação de instituições como a Associação Brasileira de Editoras Universitárias (Abel) e a Associação Nacional de Livrarias (ANL), Aníbal dedicou-se ao estudo do livro, da edição, da leitura e das políticas públicas para a promoção e desenvolvimento do setor editorial no Brasil.

O Impresso no Brasil – Dois Séculos de Livros Brasileiros (Editora Unesp), vencedor do prêmio Jabuti 2011, na área de Comunicação, Rei do Livro – Francisco Alves na Cultura do Livro e da Leitura no Brasil (Edusp) e Livraria Ideal – Do Cordel à Bibliofilia (Edusp) fazem parte do legado de estudos e pesquisas sobre o livro como bem cultural.

Presença marcante nos debates sobre o mercado editorial, Aníbal foi um dos pioneiros na concepção de livraria como centro cultural e promovia com regularidade encontros com autores, exibição de filmes e mostras de arte em suas livrarias.

Livreiro, editor, professor, homem público: um “herói do livro”, que acompanhado pelos seus fiéis escudeiros avançou por montes e vales, lutando contra moinhos de vento e toda sorte de desafios em nome de seus ideais.

Os livros agradecem!