Massao Ohno, um dos maiores editores do país, ganha livro pela Ateliê Editorial

Jorge Ialanji Filholini *

Hilda Hilst escreveu sobre Massao Ohno: “Colou-se à compaixão, abismos e à sua própria sombra”. Massao dedicava-se – muitas vezes sozinho – às sombras do mercado editorial para as publicações de livros que hoje são clássicos e importantes na literatura brasileira contemporânea.

Conhecido como um dos maiores editores do país e deixando sua ideia e marca que influenciaram o mercado editorial independente, Massao foi responsável por publicar nomes como os de Roberto Piva, Eunice Arruda, Claudio Willer, Hilda Hilst, Renata Pallottini, Jorge Mautner, Julio Bressane, Lupe Cotrim Garaude e muitos outros. Este imenso trabalho gráfico pode ser apreciado como estudo literário e biográfico no livro Massao Ohno, Editor, escrito e organizado pelo pesquisador José Armando Pereira da Silva, e publicado pela Ateliê Editorial. A obra tem seu lançamento agendado em São Paulo no dia 15 de fevereiro, a partir das 10h, na Galeria de Arte Almeida e Dale (Rua Caconde, 152, Jardim Paulista).

O objetivo inicial da obra foi o levantamento da produção editorial de Massao Ohno – morto em 2010 -, apresentada cronologicamente, e que pode servir de referência para outras abordagens de sua carreira. Houve também o propósito de conferir a colaboração dos artistas, seus parceiros no desenho de capas e ilustrações. Acompanham a reprodução colorida das capas, apontamentos históricos, biográficos e depoimentos, relacionados aos autores e às obras.

Massao Ohno, em foto de Juan Esteves

Deste rastreamento são reproduzidas capas de 174 obras, que permitem observar como se deu e se firmou sua marca. Mesmo sem acesso a toda sua produção, são destacadas algumas preferências de Massao e a primeira fase da editora, de 1960 a 1964. Nesse período culturalmente intenso, não só os novos poetas tiveram nele um veiculador sensível e comprometido em dar identidade a seus projetos.

“A ideia de fazer um levantamento da produção de Massao Ohno me ocorreu por ocasião das homenagens que lhe foram prestadas em 2004 pelos 45 anos de carreira. Não havia inventário que desse uma dimensão concreta dos títulos por ele publicados”, aponta José Armando. “Atraía-me também a possibilidade de investigar as diversas etapas de sua carreira e conferir a colaboração de ilustradores – referências para pesquisa da literatura e do design gráfico na segundo metade do século XX”, conclui.

Massao Ohno, Editor é uma obra importante que dá luz e forma à trajetória desse importante editor do Brasil em seu tempo, assim como fornece elementos para análise de seus métodos de editoração, que foram inovadores no mercado editorial e que não podem ser esquecidos.

*Escritor, editor e produtor cultural. É fundador do site cultural Livre Opinião – Ideias em Debate. Em 2016, publicou o livro Somos mais Limpos pela Manhã (Selo Demônio Negro), finalista do Prêmio Jabuti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *