Eventos

Exposição de Fernando Pessoa apresenta um mundo poético-visual simples e profundo

Exposição de Fernando Pessoa no Museu da Língua Portuguesa

por Alex Sens

Até o dia 30 de janeiro de 2011, o Museu da Língua Portuguesa de São Paulo apresenta a exposição “Fernando Pessoa – Plural como o Universo”, que tem projeto do cenógrafo Hélio Eichbauer e curadoria de Carlos Felipe Moisés e Richard Zenith. A mostra multimídia tem o papel de aproximar as pessoas do Fernando Pessoa por meio de vídeos, fotos, livros, projeções e espelhos.

Esta é a primeira vez que o museu dedica uma exposição a um escritor português, depois de comportar outras homenagens a escritores brasileiros como Clarice Lispector e Guimarães Rosa. Toda ela tem um caráter interativo e lúdico. O visitante pode passear por labirintos onde poemas e imagens de Fernando Pessoa retratam seus vários heterônimos e nuances literárias. Há também cabines com projeção de textos que são trocados por um sensor que capta os movimentos das pessoas. Com um simples toque em páginas virtuais os visitantes podem ampliar documentos fac-símiles, manuscritos e datilografados, movidos como um livro holográfico gigante.

A pluralidade de Fernando Pessoa se encontra não só em suas personas diversas e bem construídas, mas também no fato de atingir um público divergente que é tocado pelo simples, porém profundo, ou parafraseando o autor, que simplesmente sente com a imaginação, sem usar o coração. Suas obras são diferentes e fazem pensar. Com esta exposição o visitante pode entrar num mundo poético-visual e pensar junto, além de se envolver mais com a literatura portuguesa e com seus aspectos histórico-culturais.

.

“Fernando Pessoa – Plural como o Universo”

De 24 de agosto de 2010 até 30 de janeiro

De terça a domingo, das 10h às 18h

Entrada: R$6,00 (inteira) / R$3,00 (meia)

Gratuita aos sábados e também para crianças de até 10 anos e idosos com mais de 60 em todos os dias.

http://www.visitefernandopessoa.org.br/

.

APSP organiza Varal Fotográfico em São Paulo

Varal Fotográfico da APSP

Os Fotógrafos Amadores e Profissionais de São Paulo (APSP) organizaram o Varal Fotográfico, que acontecerá no dia 16 de outubro. Nesta edição, mais de 140 imagens irão compor o mosaico de olhares sobre a fauna, flora e ações do homem no meio-ambiente, principal tema do evento.

Neste mesmo dia, o fotógrafo e professor Helio Hilarião fará, às 14hs, um workshop gratuito sobre a utilização dos recursos das câmeras digitais compactas.

Insecreva-se no workshop

Blog do APSP

Varal Fotográfico da APSP

Bienal de Arte de São Paulo abre renovada, polêmica e com enfoque político

Bienal de Arte de São Paulo

por Alex Sens

A Bienal dedicada às artes plásticas retorna em sua 29ª edição, mais focada, polêmica e com entrada gratuita. Esta nova edição explora a arte como maneira de pensar o mundo e a política, sendo arte e política inseparáveis atividades criadoras do pensamento e de ações sociais e culturais. Os 160 artistas participantes trazem 800 obras que expressam, representam e analisam o mundo e seus valores morais e conflituosos.

Gil Vicente se autoretratou ameaçando personalidades do poder políticoAlgumas obras se destacam por seu forte apelo visual e variabilidade de significados. Entre as mais discutidas estão a série “Inimigos” com desenhos do Gil Vicente (que ilustrou uma capa da Revista Entretanto), artista recifense que se autorretratou ameaçando personalidades do poder político, e a imponente “Bandeira Branca”, de Nuno Ramos, que ocupa o vão central do pavilhão com estruturas verticais pretas encimadas por três urubus. As duas obras sofreram repúdio: a primeira por parte da Ordem dos Advogados do Brasil que a considerou um estímulo à violência, e a segunda de ambientalistas que pediram a libertação das aves, tendo até uma de suas estruturas pichadas com o pedido.

Ondjaki debate sobre literatura angolana no lançamento de Portanto… Pepetela

Rita Chaves, Ondjaki e Tania Macêdo no bate-papo de literatura angolana

.

Escritor Ondjaki participou de debate sobre literatura angolana no lançamento de Portanto… Pepetela. Também estavam presentes no bate-papo as autoras Rita Chaves e Tania Macêdo e os convidados do lançamento na Livraria da Vila – Lorena.

.

Veja mais fotos abaixo:

Fotos: Cecília Bastos

Fotos do Lançamento de O Altar & o Trono

Ivan Teixeira, Milton Torres e Emanuel Araujo no lançamento de O Altar & o Trono

Milton Torres, Ivan Teixeira e Emanuel Araújo / Foto: Cecília Bastos

O lançamento do livro O Altar & o Trono, de Ivan Teixeira, aconteceu na Livraria da Vila – Fradique e contou com a presença de Jerusa Pires Ferreira, Milton Torres, Emanuel Araújo, Prof. Antônio Medina Rodrigues e Prof. José de Paula Ramos Jr.

Confira abaixo algumas fotos do evento

Fotos: Cecília Bastos

Fotos dos lançamentos de Fragmentos do Sol Chuvoso e Cultura das Bordas

O lançamento do livro Fragmentos do Sol Chuvoso, de Lauro Henriques Jr, aconteceu no Centro Cultural Rio Verde, em São Paulo, no dia 10 de agosto de 2010. Clique nas setas abaixo e navegue pelo slide.

Fotos: Tomás Martins
.
O lançamento de Cultura das Bordas, da autora Jerusa Pires Ferreira, aconteceu na Livraria da Vila – Lorena, no dia 9 de agosto. Dentre os convidados estavam o editor Plinio Martins, Guita e Jacó Guinsburg, Sandra Reimão, Irene Machado, Boris Schnaiderman e o artista plástico Aguilar. Veja algumas fotos abaixo.

  1. Lancamento Cultura das Bordas
  2. Jerusa Pires e o artista plastico Aguilar o segundo esquerda
  3. Jerusa Pires Ferreria em sua sessao de autografos
  4. A autora Jerusa Pires Ferreira com Guita e Jac Guinsburg
  5. Jac Guinsburg Plinio Martins Irene Machado e Boris Schnaiderman
  6. Jerusa Pires Ferreria em sua sessao de autografos 2
  7. Plinio Martins entre as professoras Sandra Reimo e Irene Machado

Fotos: Tomás Martins

Adoniran e Noel são homenageados com debate no encerramento do Salão de Ideias da Bienal

Debate Adoniran Barbosa e Noel Rosa no Salão de Ideias da Bienal 2010

.

(por Alexandre Fernandez)

No encerramento do Salão de Ideias da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, no dia 22 de agosto, Adoniran Barbosa e Noel Rosa foram homenageados com um debate por seus respectivos centenários de nascimento. A mesa reuniu Martinho da Vila, autor do samba enredo da Unidos de Vila Isabel para o carnaval de 2010, cujo tema foi Noel, e intérprete dos sambas do compositor na disco “Poeta da Cidade”, lançado há pouco; Francisco Rocha, historiador e autor de Adoniran Barbosa – O Poeta da Cidade, da Ateliê Editorial, e o jornalista Celso de Campos Jr, autor de “Adoniran – Uma Biografia” (Editora Globo).

Como mostram os títulos do CD de Martinho e do livro de Francisco Rocha, Noel e Adoniran foram “poetas de suas respectivas cidades”. E o fizeram de modo muito pessoal, em momentos cruciais: Noel nos anos 1930, quando o samba se popularizava para valer, e Adoniran nos anos 1940-1950, quando São Paulo assumia as feições de uma grande metrópole.

O debate lotou o Auditório Clarice Lispector, com capacidade para 200 pessoas, e teve uma ativa participação do público, que fez muitas perguntas aos três debatedores. A autenticidade dos dois compositores, suas características principais e seus legados para a cultura brasileria foram os temas mais abordados.
.
Assista parte do debate abaixo