Livro da Ateliê ganha Prêmio PEN Clube do Brasil

De Olho na Morte e Antes, de Fernando FortesO livro De Olho na Morte e Antes, de Fernando Fortes, publicado pela Ateliê Editorial é o grande vencedor do Prêmio Literário Nacional PEN Clube do Brasil 2013, na categoria Poesia. O Prêmio, um dos mais antigos e prestigiosos certames brasileiros, foi criado em 1938, e é oferecido anualmente a escritores que tenham publicado obra nas categorias Poesia, Ensaio e Narrativa.
Na categoria Ensaio o vencedor foi Vasco Mariz pelo livro Depois da Glória (Ensaios sobre personalidades e episódios controvertidos da história do Brasil e de Portugal), publicado pela Editora Civilização Brasileira, e na categoria Narrativa, Luiza Lobo pelo romance Terras Proibidas – A Saga do Café no Vale do Paraíba do Sul, publicado pela Editora Rocco.

Leia abaixo o release do livro De Olho na Morte e Antes, de Fernando Fortes

Edição da Ateliê contém a poesia quase completa do poeta contista e romancista Fernando Fortes
Como sugere o título, o presente volume reúne livros publicados antes de De Olho na Morte, inédito até o momento. Em qualquer página desta obra, o leitor perceberá a força de um poeta tão vibrante quanto revelador. Quando jovem, Fernando Fortes foi convidado por Mário Faustino para colaborar no “Suplemento Dominical” do Jornal do Brasil. Depois, seria homenageado como poeta pela Universidade Gama Filho. Cada vez mais admirado por extenso espectro de leitores, recebeu prêmios no Brasil e publicou poemas no exterior. Sua poesia funda-se em amplo acervo técnico e em fina sensibilidade para os grandes temas da existência. Apegado à dinâmica das formas, domina com a mesma maestria o verso livre e o tradicional, acompanhando com singularidade os grandes momentos da poesia no século XX, tanto no Brasil quanto nas Américas e na Europa.
Para Ferreira Gullar que escreve a quarta capa desta edição, os poemas de Fernando Fortes “fala-nos de alguém que já viveu uma longa vida, que experimentou as alegrias e sofrimentos por que todos passamos, de uma maneira ou de outra. (…) De alguém que sofreu um duro golpe: a perda de um filho”. E acrescenta: “Alguns deles nos falam dolorosamente dessa perda, enquanto outros, ainda que versando temas diversos, trazem a marca dessa dor presente. Isso não impede, porém, que ele consiga nos comover também com os achados poéticos, nascidos do domínio do verso e da palavra, que foi sempre uma qualidade sua. Como poeta que é, realiza a alquimia que transforma a dor em alegria.”
Fernando Fortes nasceu em 1936 no Rio de Janeiro, médico, psicanalista, contista, poeta e romancista. Entre suas principais obras estão poesias: Tempos e Coisas (Livraria São José, 1958), Poesia Viva (Civilização Brasileira, 1968) e Arma Branca (Civilização Brasileira, 1979); Romances: Epílogo de Epaminondas (Civilização Brasileira, 1960), A Véspera do Medo (Paz e Terra, 1972) e O Estranho mais Próximo (Francisco Alves, 1988); Contos: Desamérica (José Álvaro Editor, 1969); Ensaios: Augusto dos Anjos: “Eu”, Tu, Ele, Nós, Vós, Eles (Mundo Livre, 1978); e tradução: Poesía Rebelde Latinoamericana (Paidós, Cidade do México, 1980), Latinamerika Spell, (Vindrose, Copenhagen, 1982) e The Gospel Before Saint Matthew (Vantage Press, New York, 1994).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *