LinkedIn

Produção Gráfica para Designers é especialmente útil para estudantes universitários

Thiago Cesar Teixeira Justo*

A Ateliê Editorial acaba de lançar Produção Gráfica para Designers, livro do qual fui revisor técnico. O livro é resultado da primeira tradução em português, feita por Alexandre Cleaver, do fundamental Production for Print, de Mark Gatter.

capa produção gráfica

Produção Gráfica para Designers é, ainda hoje, uma obra de referência para o mercado, porque, mesmo com o avanço das mídias digitais, a mídia impressa continua sendo um dos meios de comunicação mais eficazes. Daí vem a importância desta obra, que esclarece os principais pontos técnicos que precisam ser levados em consideração no momento de criar um arquivo para impressão.

Entre os erros mais comuns que a leitura da obra pode ajudar a evitar estão: falta de sangria no documento, textos preto de corpo pequeno que contém as quatro cores de impressão, escolha de perfil de cor errado no momento de tratar uma imagem para impressão, sem esquecer a falta de trapping e overprint.

O livro ajuda o designer gráfico a dominar os principais itens referentes à produção gráfica de um trabalho impresso em offset. Deste modo, o profissional pode ter maior controle sobre os trabalhos que envia para a gráfica e pode ganhar muito tempo de produção, caso não disponha do serviço de um produtor gráfico.

Por ter essa característica, o livro é destinado especialmente a designers gráficos, mas a obra pode servir para publicitários que atuam na criação de peças gráficas; marqueteiros que trabalham com criação; artistas plásticos e fotógrafos que produzem peças para impressão; e jornalistas, diagramadores e ilustradores que pretendam dominar conhecimentos básicos de produção gráfica.

Como a maioria dos designers não possui uma formação profunda em produção gráfica, o livro contribui para esclarecer os principais aspectos técnicos que devem ser verificados ao enviar um trabalho para ser reproduzido em tecnologia de impressão offset. Atualmente os processos de verificação prévia dos arquivos fazem com que a maioria dos erros seja encontrada antes de o trabalho ser produzido. De qualquer forma, mesmo nestes casos, é preciso corrigir o arquivo, o que demanda tempo, um item cada vez mais precioso nos dias atuais. Por isso, preparar o trabalho o mais próximo da necessidade real representa economia de tempo e recurso.

“Produção Gráfica para Designers” também tem uma utilidade especial para estudantes, pois nem todo universitário é fluente em inglês (língua em que o livro estava disponível até agora) e porque a obra explica todos os aspectos mais importantes do assunto, desde o básico.Ela pode ser adotada pela maioria das faculdades de comunicação (jornalismo, publicidade, editoração, design gráfico e artes visuais) e de arquitetura e urbanismo (design e comunicação visual).

É muito importante que designer gráfico conheça “as reais necessidades do processo de impressão”, como aponta Gatter no prefácio do livro. Conhecendo essas necessidades, o profissional já começa o projeto ciente das limitações técnicas das tecnologias de impressão que serão utilizadas. Dominar as necessidades do processo de impressão também contribui para menos retrabalho e insatisfação com o resultado do produto gráfico finalizado.

Esse conhecimento acelera o processo à medida que, com ele, o designer gráfico prescinde da análise de um profissional de fora da área de criação caso seja necessário corrigir o trabalho por causa de alguma especificação técnica que possa prejudicar o resultado final do trabalho impresso.

 

 

* Sou mestre em Arquitetura e Urbanismo pela FAU-USP, graduado em Desenho Industrial pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e técnico em pré-impressão pela escola SENAI Theobaldo De Nigris. Há mais de 5 anos sou professor no curso de graduação e pós-graduação da Faculdade SENAI de Tecnologia Gráfica, ministrando disciplinas ligadas a tecnologia de impressão digital e pré-impressão.