Poesia tem lugar de destaque na Ateliê Editorial

Arte difícil de definir, em constante mutação ao longo da história e dotada de grande força expressiva, a poesia é uma das mais antigas e importantes expressões do fenômeno literário. Difundir a poesia brasileira e estrangeira é uma das missões da Ateliê Editorial. Dentre os lançamentos recentes de poesia estão Escrito sobre Jade, em que Haroldo de Campos recria a poesia clássica chinesa; Palavra e Rosto, de Fernando Paixão; Sementes Aladas, antologia poética de Percy Bysshe Shelley, com tradução de Alberto Marsicano e John Milton, e Interior Via Satélite, de Marcos Siscar.

Na apresentação de Palavra e Rosto, Fernando Paixão anota que o livro pode ser encarado como um “álbum de desenhos e pensamentos”, pois o volume agrupa situações, devaneios e reflexões surgidas a partir de estímulos do cotidiano. O tema da poética permeia o percurso, pontuado por gravuras – igualmente poéticas – de Evandro Carlos Jardim.

Sementes Aladas traz os poemas mais representativos de Percy Shelley, um dos maiores nomes do romantismo, em edição bilíngue. O romantismo de Shelley é visceralmente anticonformista: celebra a comunhão com a natureza e as ideias políticas libertárias. Dentre os poemas reunidos na antologia estão o soneto “Inglaterra 1819”, uma crítica impiedosa à monarquia; “Julian e Maddalo: Uma Conversação”, escrito em Veneza, inspirado por conversas que teve com Lord Byron e “Adonais: Uma Elegia sobre a Morte de John Keats”.

Em Interior Via Satélite, Marcos Siscar propõe uma viagem ao leitor, uma reflexão sobre a prática poética em meio ao movimento do cotidiano. Com uma escrita fraturada, cheia de cortes e pontuações heterodoxas, mas também densa e constante, atenta tanto ao detalhe quanto à visão de conjunto, Siscar faz “poesia para quem conhece o peso da palavra”, como diz um de seus versos.

(escrito por Alexandre Fernandez)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *