‘Mulheres de Passagem’, de M. A. Amaral Rezende, em promoção no site da Ateliê Editorial

Nesta coletânea de contos e vinhetas, M. A. Amaral Rezende metaboliza em literatura a difundida prática masculina da observação, cobiça e conquista do corpo da mulher. Uma prática ancestral que precede ou mesmo dispensa o amor, mas que não deixa de ser profundamente amorosa em sua devoção à beleza e ao arrebatamento que ela produz. Acesse aqui.

Estas Mulheres de Passagem desfilam diante dos olhos do narrador, seja em sua mirada direta de caçador de praia, seja nas lentes da câmera fotográfica com que ele atrai sua caça. Mas quem se apaixona é o leitor, convidado a desejá-las, tocá-las, tê-las por uns fugazes instantes – e depois dar a elas os mais delirantes destinos.

M. A. Amaral Rezende é escritor, estudioso de Pintura, fotógrafo e consultor de Branding. Discípulo dos poetas do grupo Noigandres, no Brasil, e de Maurice Roche, na França. Em suas obras, concentrou-se em encontrar uma resposta estética à questão “o que é o desejo de um homem por uma mulher?” Esta busca o levou aos mistérios da relação entre o amor e o desprezo – a coluna central de Mulheres de Passagem, histórias de amor e morte. Sempre com o prazer de uma escrita sádica e rigorosa, lição de Thomas Mann, via Haroldo de Campos: “Meisterludi, rigor!”, 1967.

Deixe uma resposta