Lançamento: ‘Os Diabos de Ourém’, de  Maria Luiza Tucci Carneiro

Maria Luiza Tucci Carneiro não escreve para um leitor abstrato, atemporal, mas para um cúmplice dos nossos tempos marcados pelo medo do desconhecido. E embora a história se passe na cidade brasileira de Ourém, trata-se de uma obra de inspiração universal, que investiga a natureza humana nas suas facetas mais frágeis e sórdidas, com muito humor e ironia. [Karina Marques]

A Ateliê Editorial publica o livro Os Diabos de Ourém, de  Maria Luiza Tucci Carneiro. Segundo a autora: “O tema da possessão pelo Diabo é pertinente ao discurso histórico, mas também está inscrito no discurso da ficção. Ao longo da História pode-se verificar que nesse mito cristão existem fragmentos de uma realidade facilmente reconhecível no contexto cultural de cada época”. Ela também escreveu: “O enredo também se guia pela ideia de que o homem pode ser transfigurado e moldado à imagem de um mundo de mitos que instigam o ódio e geram dúvidas”.

Em Os Diabos de Ourém, Maria Luiza Tucci Carneiro aborda um tema bastante significativo que invade o desconhecido e mexe com a imaginação, sendo uma leitura proveitosa e instigante cujas narrativas marcantes mostram uma escrita madura e expressiva de uma das maiores autoras da atualidade.

Maria Luiza Tucci Carneiro, natural de Santa Adélia (SP), é historiadora e Professora Livre Docente da Departamento de História da FFLCH – Universidade de São Paulo, desde 1984. Credenciada nos Programas de Pós-Graduação em História Social e Direitos Humanos da Faculdade de Direito São Francisco/USP. Entre 1999 e 2004, foi pioneira no inventário do Fundo Deops/SP, coordenando o Projeto Temático Fapesp Arquivos da Repressão e da Resistência, com Boris Kossoy. Desde 2006 é coordenadora do LEER – Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação/USP, onde mantém a Base de Dados Arqshoah – Arquivo Virtual sobre Holocausto e Antissemitismo. Autora dos livros Dez Mitos sobre os Judeus (Ateliê Editorial, 2020), traduzido para o inglês (Sussex Academic Press, 2020), francês (L’Harmattan, 2020) e espanhol (Cátedra, 2016); Cidadão do Mundo: O Brasil diante do Holocausto e dos Judeus Refugiados do Nazifascismo, 1933-1945 (Perspectiva, 2010), entre outros.

Deixe uma resposta