No catálogo da Ateliê Editorial: ‘História do PCB’, organizado por Lincoln Secco e Luiz Bernardo Pericás

A Ateliê Editorial publica a obra História do PCB, organizada pelos professores e pesquisadores Lincoln Secco e Luiz Bernardo Pericás. A obra tem como debate os cem anos de Movimento Comunista no Brasil, por meio de um panorama histórico e bibliográfico da fundação e da trajetória do PCB, fundado em 25 de março de 1922, na cidade de Niterói, Rio de Janeiro.

O livro traz um balanço sobre os momentos mais importantes da participação dos comunistas na história brasileira, como o COMINTERN na América Latina, a Insurreição de Novembro de 1935, a Revolução Burguesa (1928-1948), o papel de liderança de Luís Carlos Prestes, a formação da Juventude Comunista brasileira, a divisão do PCB, em 1962, e o surgimento do PCdoB, a luta dos comunistas contra a ditadura civil-militar, entre outros assuntos importantes. Outros temas discutidos na obra e que envolvem as demandas sociais e étnicas do partido são: a luta pela paz mundial, a questão racial no PCB, o PCB e as Artes no Brasil, assim como a Federação de Mulheres do Brasil (1949-1957).

A obra conta com a participação de experientes estudiosos do tema, como Victor Jeifetz e Lazar Jeifets, Frederico Duarte Bartz, Marly de A. G. Vianna, Marcos Del Roio, David Ricardo Ribeiro, Edvaldo Correa Sotana, José Reinaldo Carvalho, Milton Pinheiro, Breno Altman, Anita Leocadia, Fernando Garcia de Faria, Fernando Garcia de Faria, Iracélli da Cruz Alves, Wilson Milani, Pedro Estevam da Rocha Pomar, Paulo Ribeiro da Cunha, Dainis Karepovs.

A obra traz luz às conquistas da ala trabalhadora brasileira e avalia a história do PCB no processo político, social e cultural no passado e projetando o desenvolvimento atual da luta de classes no país.

Lincoln Secco nasceu em São Paulo. Em 1987 ingressou na Universidade de São Paulo (USP), onde desde 2003 é professor livre docente de História Contemporânea. É autor dos livros Caio Prado Júnior: O Sentido da Revolução e A Revolução dos Cravos. Pela Ateliê Editorial publicou A Batalha dos Livros: Formação da Esquerda no Brasil e História do PT . 

Luiz Bernardo Pericás é formado em História pela George Washington University, doutor em História Econômica pela USP, pós-doutorado em Ciência Política pela FLACSO (México), onde foi professor convidado e pelo IEB/USP. Foi também Visiting Scholar na University of Texas at Austin e Visiting Fellow na Australian National University, em Camberra. É autor de vários livros, como Mystery Train (São Paulo, Brasiliense, 2007) e do romance Cansaço, a Longa Estação (São Paulo, Boitempo, 2012; adaptado para o teatro), entre outros. Recebeu a menção honrosa do Prêmio Casa de las Américas em 2012 por seu livro Os Cangaceiros: Ensaio de Interpretação Histórica (São Paulo, Boitempo, 2010; Havana, Editorial Ciencias Sociales, 2014). Ganhador do Prêmio Ezequiel Martínez Estrada, da Casa de las Américas (2014), pelo livro Che Guevara y el debate económico en Cuba (Nova Iorque, Atropos Press, 2009; Buenos Aires, Corregidor, 2011; Havana, Fondo Editorial Casa de las Américas, 2014; São Paulo, Boitempo, 2018). Organizou e prefaciou algumas coletâneas, entre as quais, Caminhos da Revolução Brasileira (São Paulo, Boitempo, 2019). Traduziu obras de Slavoj Zizek, James Petras, Christopher Hitchens, Jack London, John Reed, José Carlos Mariátegui e Julio Antonio Mella. Com seu livro Caio Prado Júnior: uma Biografia Política, ganhou o Prêmio Juca Pato – Intelectual do ano (2016), concedido pela União Brasileira de Escritores (UBE) e o Prêmio Jabuti – melhor biografia (2017), pela Câmara Brasileira do Livro (CBL). É professor de História Contemporânea na Universidade de São Paulo (USP).

Deixe uma resposta