‘Casa de Pensão’, de Aluísio Azevedo, em oferta no site da Ateliê Editorial

Conheça a Coleção Clássicos Ateliê, o diferencial destas edições é a possiblidade de conferir notas, organizações, ilustrações e apresentações de professores e artistas estudiosos da área literária, como Emilia Amaral, Paulo Franchetti, Leila Guenther, Antônio Medina Rodrigues, Jean Pierre Chauvin, José de Paula Ramos Jr., José E. Major Neto, Ivan Teixeira, entre outros. Para você que fará o vestibular e quer se aprofundar nas análises e interpretações das obras solicitadas pelas universidades, a Coleção Clássicos Ateliê fornece o melhor estudo em torno de enredos, personagens, tramas, ambientações, contextos e pesquisas, com o foco nos consagrados nomes da literatura.

Primoroso na elaboração estilística, magistral na composição dos tipos sociais, sólido na arquitetura do enredo, Casa de Pensão descortina um cenário urbano, o da corte carioca, afinando com argúcia o olhar que capta um espaço miúdo e entulhado de conflitos humanos, a degradante habitação coletiva, em que se apresentam os mais diversos – e inesquecíveis – personagens, tomados quase todos pela mediocridade e mesquinharia. Casa de Pensão se firma como notável realização literária. E, como tal, é obra para todos os tempos. Apresentação e Notas de Marcelo Bulhõe, ilustrações de Witness Soares.

Aluísio Tancredo Belo Gonçalves de Azevedo (1857-1913) foi escritor, diplomata, jornalista e caricaturista. Irmão mais novo do dramaturgo Artur Azevedo, com quem escreveu alguns esboços de peças teatrais. Muito cedo revelou pendores para o desenho e para a pintura, dom que mais tarde lhe auxiliaria na produção literária. Estudou na Academia Imperial de Belas-Artes, no Rio, quando começou a trabalhar como caricaturista nos jornais O Fígaro, Mequetrefe, Zig-Zag e A Semana Ilustrada. Para sustentar a família, abandona os desenhos e começa sua carreira literária. Seu primeiro romance foi Uma Lágrima de Mulher (1879). Em 1881, em período de crescente efervescência abolicionista, publica o romance O Mulato, obra que deixa a sociedade escandalizada pelo modo cru com que desnuda a questão racial e inaugura o Naturalismo na literatura brasileira. É autor de vários romances de estética naturalista: O Mulato (1881), Casa de Pensão (1884), O Cortiço (1890) entre outros.

Deixe uma resposta