João Cabral de Melo Neto na Ateliê Editorial

João Cabral de Melo Neto

João Cabral de Melo Neto nasceu na cidade do Recife, a 9 de janeiro de 1920 e faleceu no dia 9 de outubro de 1999, no Rio de Janeiro, aos 79 anos. Eleito membro da Academia Brasileira de Letras em 15 de agosto de 1968, tomou posse em 6 de maio de 1969. Foi recebido por José Américo. Autor, dentre outros, de Pedra do Sono, 1942; O Engenheiro, 1945; Psicologia da Composição, 1947; O Cão Sem Plumas, 1950; O Rio, 1954; Morte e Vida Severina, 1956; Paisagens com Figuras, 1956; Uma Faca Só Lâmina, 1956.

Conheça as obras da Ateliê Editorial cujo tema dialoga com a trajetória literária de João Cabral de Melo Neto:

A Bailadora Andaluza – A Explosão do Sagrado na Poesia de João Cabral

Uma obra literária como a de João Cabral de Melo Neto, múltipla e complexa, admite diferentes exercícios de interpretação. Este estudo, que deriva da tese de doutorado de Waldecy Tenório, opera essa análise por meio da interface com a teologia. O autor busca caracterizar a poesia do pernambucano sem restringi-la aos aspectos da superfície textual. Para além da metalinguagem e do apuro formal, ele vê na produção cabralina uma ética solidária ligada a uma profunda e difusa religiosidade (CLIQUE AQUI).

Matéria Lítica: Drummond, Cabral, Neruda e Paz

Nos capítulos deste livro, o poema constituirá o espaço onde o “combate entre clareira e ocultação” se trava diante do leitor, combate que busca não apenas fazer emergir pela abertura, ou clareira do poema, o sentido que se oculta nos interstícios de sua malha textual, mas também, e sobretudo, o efeito de espanto do pensamento que a desocultação desse sentido produz. Com isso, o ato de leitura crítica se desenvolve na direção de um saber e de uma experiência imbricados, pelo quê o poema se instaura como fonte de conhecimento e autoconhecimento para o leitor (CLIQUE AQUI).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *