Inverno: bom motivo para se aquecer e ler

O inverno chegou. Chás, chocolate quente, casacos, cachecóis e muitos livros para aquecer o coração. Anoitece mais cedo e se normalmente a vontade de sair já diminui, neste inverno 2021, quando a pandemia de coronavírus não está controlada, é ainda mais recomendável ficar em casa e aproveitar tudo o que o aconchego do lar tem a oferecer. Fazer bolos e pães para deixar a casa perfumada, criar ambientes acolhedores e escolher muito bem a companhia. A melhor delas, sem dúvida, é um bom livro.

Para inspirar você e dar uma forcinha nessa escolha, a Ateliê preparou uma lista de mais de cem títulos, com descontos de até 70%, para que você não tenha desculpa para não experimentar novos autores ou novos estilos neste inverno. Confira:

Cocanha

Cocanha é um lugar utópico. Uma terra imaginária onde há fartura, ociosidade, juventude e liberdade, algo que mobiliza as pessoas através dos séculos, qualquer que seja sua origem geográfica. Por isso, a lenda, que surgiu na França, ganhou o mundo e tem até uma versão brasileira. Em Cocanha – Várias Faces de Uma Utopia, o professor, doutor e livre-docente em história medieval pela USP, Hilário Franco Júnior reúne várias versões desta história. 

Dez Mitos sobre os judeus

No livro Dez Mitos sobre os Judeus, Maria Luiza Tucci Carneiro, historiadora da USP, analisa dez entre os mitos mais arraigados sobre os judeus, que têm contribuído para a persistência do antissemitismo. O tem como objetivo desvendar não só a imagem do povo judeu, como também entender como acontece o processo de manipulação da mentira e a compreensão da verdade nos mundos atuais. 

Feito Eu

Ao abrir as portas da memória autobiográfica, a escritora Elisa Nazarian resgata o mais íntimo que existe em todos nós: o campo dos afetos. Sem rodeios nem melodramas, ela nos conduz delicadamente a esse universo tão particular quanto universal, sem o qual não nos saberíamos humanos. Em Feito Eu, Elisa trata dos momentos cotidianos, às vezes perturbadores, e explora o amor no que ele tem de mais visceral e doloroso. Seu verso, límpido e pungente, consegue ser confessional sem se tornar piegas.

O Encanto de Narciso

Em seu novo livro, O Encanto de Narciso, o fotógrafo Boris Kossoy faz reflexões sobre temas que permeiam seu trabalho em textos curtos, densos e objetivos. Para além de registrar as imagens, aqui ele se debruça sobre seus significados e desdobramentos, “em busca de sua natureza e essência”, como ressalta o autor. Os textos foram escritos entre 2010 e 2018 e se organizam em seis capítulos: O Sistema e a Essência; Produção e Recepção; Desmontagem do Constructo; Fotografia e Memória; História da Fotografia; e Outras Dimensões da Fotografia.

Geórgicas

Geórgicas é um poema sobre as práticas e as técnicas de agricultura. Este assunto que aparenta não despertar interesse é o pretexto que Virgílio (70 a.C. – 19 a.C.) usa para tratar de temas grandiosos: a força do sentimento amoroso, as dificuldades humanas, o papel do trabalho. Para muitos, esta é a maior obra de Virgílio.

Esta edição traz o texto integral (os quatro “livros”) em versão bilíngue, comentado e anotado por integrantes do Grupo de Trabalho Odorico Mendes – que congrega docentes da Unicamp, USP, UNIFESP, UFMG e UNESP. A edição é organizada por Paulo Sérgio de Vasconcellos.

Quatro Ensaios sobre Oscar Niemeyer

Os quatro ensaios sobre Oscar Niemeyer aqui reunidos consistem em exercícios individuais que contribuem para a devida compreensão de uma obra cuja magnitude e inevitável proximidade ainda nos afastam de sua merecida e urgente reflexão. Os temas abordados nesse livro – a produção paulista, a repercussão internacional, a recepção crítica e os projetos de edifícios religiosos – são um convite à obra de Oscar Niemeyer.

Capas de Santa Rosa

Sobrecapa do livro “Capas de Santa Rosa”

Capas de Santa Rosa, de autoria de Luís Bueno, traz as capas criadas pelo artista plástico e designer Tomás Santa Rosa, que executou pinturas e gravuras, criou capas, ilustrações e projetos gráficos para livros, revistas e jornais, elaborou cenários e figurinos para o teatro.

O Poema dos Lunáticos

Obra mais famosa do escritor italiano Ermanno Cavazzoni, O Poema dos Lunáticos é, ao contrário do que sugere o título, um romance. O protagonista vive situações absurdas, permeadas por um humor nonsense. Influenciado por Kafka e Beckett, o autor oferece um novo ponto de vista sobre a realidade aparentemente lógica e racional que nos rodeia. O Poema dos Lunáticos aproximou Cavazzoni de Federico Fellini. O filme A Voz da Lua (1990), último longa do cineasta, foi inspirado no clima de lirismo e fantasia deste livro.

O Hóspede

Este livro de contos de Mário Higa, que tem a figura paterna como tema central. “O nascimento de uma voz própria, avançada, reveladora, no frequentemente repetitivo, tímido e desanimador cenário da literatura contemporânea”, aponta Rinaldo Gama.

Quer conhecer a lista completa de promoções? Acesse: https://www.atelie.com.br/publicacoes/publicacoes/promocao/ A promoção é por tempo limitado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *