Tag Archive for Dante Alighieri

Ilustrações de Sandro Botticelli na edição de luxo da Divina Comédia, de Dante Alighieri

Divina Comédia, de Dante Alighieri

Divina Comédia, de Dante Alighieri (1265-1321), é uma das obras-primas da literatura mundial. Além de trazer de volta a primorosa tradução do erudito italiano João Trentino Ziller – publicada originalmente em 1953, em Minas Gerais – a presente edição do poema, coeditada pela Ateliê Editorial e pela Editora da Unicamp, oferece algo inédito ao leitor brasileiro: as ilustrações de Sandro Botticelli, perdidas durante séculos e identificadas somente na década de 1980. Acesse o livro na loja virtual

Tradução e notas João Trentino Ziller
Apresentação João Adolfo Hansen
Notas à Comédia de Botticelli Henrique Xavier
Coedição Editora Unicamp

Ilustrações Sandro Botticelli

Veja abaixo algumas ilustrações de Sandro Botticelli presentes no livro

Inferno – Ilustração de Botticelli

Inferno

Inferno – Ilustração de Sandro Botticelli

Inferno

Purgatório – Ilustração de Sandro Botticelli

Purgatório

Paraíso – Ilustração de Sandro Botticelli

Paraíso

Paraíso – Ilustração de Sandro Botticelli

Paraíso

Nossa edição bilíngue da Divina Comédia está novamente disponível no site

Divina Comédia

Após sucesso com a crítica e o público a primeira edição da Divina Comédia, de Dante Alighieri, está novamente em estoque e disponível para compras na Loja Virtual. A co-edição  bilíngue da Divina Comédia (Ateliê/Unicamp) traz ao leitor brasileiro a tradução de João Trentino Ziller, ilustrações inéditas de Sandro Botticelli, perdidas durante séculos e identificadas na década de 1980, e notas de leitura do professor e crítico João Adolfo Hansen.

Divina ComédiaDivina Comédia, de Dante Alighieri (1265-1321), é uma das obras-primas mais importantes da literatura mundial, conhecida e estudada há séculos. Composto por 14.233 versos, o poema está dividido em três partes: Inferno, Purgatório e Paraíso. O poeta narra sua visita aos três reinos supraterrestres, que o conduzirá à visão da Trindade. Dante realiza um inventário de crimes e méritos dos homens, um painel moral que oferece uma visão teológica e dramática da condição humana.

Durante o périplo, Dante encontra personagens célebres de seu tempo e do passado, cujo castigo, penitência ou beatitude dependem dos atos que cometeram na Terra. O poeta romano Virgílio, alegoria da razão humana, é o guia de Dante no Inferno e no Purgatório. Beatriz, a mulher amada por Dante desde a infância, é alegoria da teologia. É ela que o acompanha à contemplação última de Deus. Escrita entre 1307 e 1321, Divina Comédia tem características da literatura e do estilo medieval, mas também é profundamente inovadora, pois oferece uma representação ampla e dramática da realidade.

Escrito em versos hendecassílabos com terça-rima, o poema é um desafio para tradutores. A tradução do erudito João Trentino Ziller – italiano radicado no Brasil – é considerada por especialistas como a melhor já realizada para o português. O trabalho de Ziller, que consumiu 25 anos, respeita a estrutura rítmica e poética do original, preservando os hendecassílados e as terças-rimas. O volume traz notas de leitura do professor e crítico literário João Adolfo Hansen e um texto de João Ziller sobre Dante.

Ilustrações de Sandro Botticelli e projeto gráfico: Considerado como um dos expoentes da Arte Renascentista, o florentino Sandro Botticelli (1445-1510) começou a ilustrar a Divina Comédia em 1490. Os 102 desenhos que realizou emulam com perfeição a poesia de Dante, assim como o próprio projeto gráfico da edição renascentista, que serviu de base a esta edição. Única em seu gênero, a edição renascentista era aberta horizontalmente, contendo um canto completo por página, seguido de uma página com uma imagem que lhe corresponde. Esta edição conserva a orientação dos desenhos e dos textos nas páginas, fazendo com que o livro seja lido verticalmente, de cima para baixo. Assim, a cada virar de página, o leitor faz uma jornada descendente ao interior do livro, acompanhando literalmente a progressão de Dante em sua descida ao Inferno. Entretanto, na travessia do Inferno para o Purgatório, surge um impasse. Se ao longo do Inferno a leitura se dá em uma linha descendente, ao pas- sar para o Purgatório o leitor inicia um movimento de ascensão em direção ao Paraíso. Completa o volume o ensaio Ver a Comédia de Botticelli, de Henrique Piccinato Xavier, designer do livro.

Vidas de Dante – Escritos Biográficos dos Séculos XIV e XV

Vidas de Dante – Escritos Biográficos dos Séculos XIV e XV

Lançamento da Ateliê Editorial recupera escritos sobre Dante Alighieri dos séculos XIV e XV que permitem situar e comparar informações das biografias modernas do poeta

Dante Alighieri foi objeto de várias biografias ao longo das décadas seguintes à sua morte. São elas que em boa parte fundamentam suas biografias posteriores até hoje. Mas tal material acabou sendo diluído nessas sínteses e ficando à sombra da figura luminosa que ele próprio ajudou a criar. Neste livro Eduardo Henrik Aubert reúne e traduz pela primeira vez em português alguns desses testemunhos dos séculos XIV e XV sobre Dante. O contato direto com esses relatos permite ao leitor situar, cruzar e comparar informações que em muitas biografias modernas do poeta nem sempre foram bem aproveitadas.

Entendendo que a obra de Dante Alighieri (1265–1321) está intimamente articulada às condições concretas da vida do autor, este livro propõe a tradução anotada de todas as biografias de Dante escritas até a década de 1430. A leitura desses textos mostra que a vida de Dante e as Vidas de Dante – suas biografias – não pertencem a planos autônomos da realidade, mas se imbricam como atos e processos responsáveis pela estruturação do mundo social. Assim, esta coletânea instiga o leitor a correlacionar história literária, biografia histórica e história social, e, por fim, possibilita que se faça sua arqueologia, oferecendo a oportunidade de examinar tanto a obra do poeta como fonte do indivíduo quanto o indivíduo como fonte da sua obra.

Eduardo Henrik Aubert é Mestre em História Social pela USP e doutorando em Histoire et Civilisations na École des Hautes Études en Sciences Sociales – Paris. Publicou diversos artigos e capítulos de livros sobre história medieval e historiografia no Brasil e no exterior.