Dia dos Professores: Dicas de leitura

No Brasil, o Dia dos Professores é comemorado em 15 de outubro. Mas você sabe por quê? A razão é que, nesta data, no ano de 1827, D. Pedro II baixou um decreto segundo o qual era obrigatório que todas as vilas, lugarejos e cidades brasileiras tivessem suas “escolas de primeiras letras”. Ali, os meninos seriam ensinados a escrever, calcular e ler. Já as meninas ficariam restritas aos ensinamentos que lhes pudessem ser úteis na vida doméstica: bordar, cozinhar, cuidar da casa. Apesar dessa diferença incomensurável, que aos poucos, com o passar do tempo, foi sendo diminuída, a implantação dessa decisão foi de grande importância para a educação no país.

Mais de um século depois, em 1947, um professor teve a idéia de transformar a data em feriado escolar, pois o segundo semestre tinha poucas datas de descanso e essa seria bem-vinda (e com uma justa razão: homenagear os professores). Entretanto, foi apenas em 1963 que a data – um feriado escolar nacional – tornou-se um decreto federal.

Desde então, todos os anos, essa que é uma das belas profissões do mundo é celebrada no Brasil. Neste ano, para comemorar, a Ateliê preparou uma lista com dicas de leitura para professores dos mais variados gostos e interesses:

A Arte de Argumentar – Gerenciando Razão e Emoção

Este livro pode ajudar professores de todas as áreas do conhecimento, que pretendem melhorar os relacionamentos e aperfeiçoar as relações interpessoais por meio da criatividade e do trabalho em equipe.

 Sôbô – Uma Saga da Imigração Japonesa

Em 1930, Tatsuzô Ishikawa embarcou para o Brasil no navio La Plata Maru, como imigrante individual japonês, com auxílio do governo. Com este livro, que descreve a imigração japonesa no Brasil, Tatsuzô ganhou o primeiro prêmio Akutagawa – o prêmio literário de maior valor no Japão, instituído em 1935. O livro tem tradução de Maria F. Tomimatsu, Monica Okamoto e Takao Namekata. Uma opção de leitura para quem gosta de boas histórias que recontem a História.

Os Evangelhos – Uma Tradução

Textos conhecidos por seu caráter religioso traduzidos, diretamente do grego, com o objetivo de destacar o valor literário das escrituras. Esta nova tradução dos Evangelhos procura trazer ao frescor de um português literário contemporâneo a “surpresa e o encantamento” da leitura do original grego, como diz o próprio tradutor em sua apresentação. Para professores interessados em obras intelectualmente instigantes.

Velhos Amigos

Contos, poemas e crônicas se misturam nessa obra de Ecléa Bosi, que aqui faz uma abordagem literária sobre a memória individual e coletiva no Brasil. São lembranças reais de velhos operários, imigrantes e outros personagens anônimos da vida brasileira, organizadas em pequenas narrativas. Uma leitura que agrada a quem quer aliar o prazer da leitura ficcional ao conhecimento sociológico.

Geometrias de Cosmos

Primeiro volume da série “A Trilogia da Invisibilidade”, livro do professor Rodrigo Suzuki Cintra reúne poemas que são metáforas da invisibilidade, criando, nas palavras do autor, sentimentos e percepções que estão por trás das palavras. “Para mim, a poesia é a arte de fabricar, de simular, de blefar, de criar sentimentos”, explica Cintra. O livro é um convite aos professores que queiram “entrar no jogo” e perceber o invisível.

Massao Ohno, Editor

Massao Ohno foi um dos maiores editores do país, deixando sua ideia e marca que influenciou o mercado editorial independente. Este imenso trabalho gráfico pode ser acompanhado neste livro, escrito e organizado pelo pesquisador José Armando Pereira da Silva. A obra tem projeto gráfico de Gustavo Piqueira e Samia Jacintho e é uma excelente opção de leitura para professores que acreditam que livros também podem tratar de livros e serem visualmente belos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *