“Jogo de Palavras”: Dobras da Vida

Renato Tardivo*

Jacó Guinsburg, professor emérito da Escola de Comunicações e Arte da USP, está entre os maiores críticos de teatro do Brasil. É, também, um importante editor, destacando-se pela veiculação de obras de vanguarda, comprometidas com a disseminação de reflexão e cultura.

Qual não é, então, a grata surpresa ao deparar com Jogo de Palavras, livro que reúne uma série de poemas de Guinsburg, escritos entre 2012 e 2018?

Aos 97 anos, o autor revela (e talvez descubra) mais uma habilidade, com poemas que conjugam a um só tempo a maturidade de quem já viveu quase um século e o vigor de quem está começando, como lemos em “Visão”: “Do fundo negro da cidade / ele quis vislumbrar / a luz branca da verdade, / mas só lhe foi dado ver / o céu opaco da cidade”.

Ao atravessar temas como política, memória e questões existenciais, a principal marca dos poemas é o jogo de opostos, “as dobras da vida”, que Guinsburg conduz com humor, densidade e, sobretudo, habilidade.

Não há escapismo (a não ser, ironicamente, para a Pasárgada-Brasília) nem niilismo, mas uma sensatez profunda, o que não amortece a potência “da sombra” entre um verso e outro, uma palavra e outra, em suma, um extremo e outro: “Da sombra noturna / de meus desejos / desprendeu-se / a imagem soturna / dos rostos / que não revejo”.

Não por acaso, os poemas têm ritmo, movimento. Os versos procuram o amanhã, a história, a verdade, a própria poesia: “[…] / na esperança do amanhã / desfeito no amanhecer” (em “Sempre”); “[…] / é a nossa história / que a história / historia…” (em “História”); “[…] / Qual verdade? / A verdade da verdade. / É verdade?” (em “Verdade”); “[…] / o escritor / escreve / o inscrito / no circunscrito / do escrito.” (em “Escritor”).

Com efeito, o jogo, circularidade reversível, não tem fim: em perspectivismo infinito, a vida ramifica-se em dobras.

 

Conheça a obra de Jacó Guinsburg

**Renato Tardivo é psicanalista e escritor. Doutor em Psicologia Social da Arte (USP). Autor, entre outros, dos livros Porvir que vem antes de tudo – literatura e cinema em Lavoura Arcaica  (Ateliê/Fapesp), Cenas em Jogo – Literatura, Cinema, Psicanálise e do volume de poemas Girassol Voltado Para a Terra (Ateliê). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *