Ler sempre é ler mais e melhor

Cecilia Felippe Nery*

livro com flor

A equação até parece simples e é. Lendo sempre, leremos mais e melhor, mas para se chegar lá é preciso paciência e vontade, como tudo na vida. No Brasil, no entanto, essa equação está longe de ser perfeita, mas avançou, ainda que a passos lentos.

No país há 104,7 milhões de leitores, o que representa 56% da população, segundo dados da quarta edição da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, realizada em maio deste ano. O índice de leitura teve uma pequena melhora, mas é pouco, pois indica que o brasileiro lê somente 4,96 livros por ano.

Como mudar isso?

A questão é complexa e envolve muitas esferas, mas podemos fazer a nossa parte com método e disciplina até que o ato de ler se torne um hábito indispensável à nossa vida.

Antes de mais nada preciso confessar que sou uma leitora meio atípica, apaixonada por livros, mas atípica. Não leio tão rápido, meu ritmo é mais lento, embora constante. Isso porque gosto de refletir sobre as palavras, de sentir mais a leitura e de voltar as páginas para reler algo que ficou para trás e que só lá na frente fará sentido, assim demoro mesmo quando me aventuro em algum livro.

Além disso, não consigo ler dois livros ao mesmo tempo. Admiro quem consegue fazê-lo, e já tentei, mas percebi que acabo misturando as histórias e fico pensando onde li determinada cena ou passagem. Minha cabeça dá um nó e me sinto um pouco perdida. A não ser que leia coisas totalmente diferentes, como um romance e um livro técnico, ou ainda poesia.

Percebo também que alguns livros oferecem uma leitura mais fluida e agradável, prendendo o leitor de tal forma que ele se desliga facilmente de tudo ao seu redor. Outros, no entanto, embora de valor incontestável, são mais penosos, requerem maior atenção e exigem mais dedicação do leitor. Por isso é necessário começar devagar, sem correria, para criar o hábito, cultivado pouco a pouco.

 

O local

O primeiro passo é estar aberto à leitura e escolher o livro que se quer ler, sem pressa, sem cobranças, por prazer, para conhecer. Separe um tempo do dia para fazer isso e se disponha a ler, nem que seja por 20 ou 30 minutos e vá aumentando o tempo gradativamente. O local de leitura também é fundamental. Se você tem problema em se concentrar, procure um lugar tranquilo e sem interferências que possam lhe causar distração.

Eu, por exemplo, leio mais quando estou fora de casa. E o meu local preferido sempre foi o metrô. Sim, isso mesmo, o metrô, no trajeto de casa para o trabalho e do trabalho para casa. E, embora muitas vezes o trem esteja cheio, já li muitos livros nos vagões do metrô. Às vezes fico tão empolgada com a história que passo da estação em que iria descer, quando me dou conta tenho de sair do vagão e pegar o trem no sentido contrário, para voltar. Outras vezes me deixo passar mesmo, e vou até o final da linha, só para não parar e continuar a leitura. Aí depois retorno ao meu destino. Claro, quando estou com tempo.

Como leio muito no metrô, já aconteceu, vez por outra, de entrar em um trem e sem que eu veja ou pense em alguma coisa relacionada às histórias, vir à minha mente cenas e personagens de algum livro que li. Acontece assim, instantaneamente, sem que eu perceba. As imagens simplesmente aparecem para mim. É como se os vagões do metrô estivessem povoados das histórias, dos personagens e das cenas que leio – e vejo com a imaginação – nos livros. Acho que são como fantasmas, que vagueiam livremente por entre o emaranhado de fios que povoam a minha mente.

Mas estou divagando… e, claro, pode funcionar para mim, para outras pessoas não. Seja como for, o importante é encontrar um local adequado em que a pessoa se sinta bem e disposta a ler, independentemente de ser um livro físico ou virtual. Com o tempo é possível até que a pessoa leia em qualquer lugar, porque a leitura já se incorporou.

Outra importante dica é variar as leituras. Se recentemente você leu um romance, alterne com uma biografia, ou um livro de contos, ou ficção ou terror, ou ainda quadrinhos, que são excelentes para entreter e ampliar o conhecimento. Mescle seus interesses e aumente suas conquistas literárias dia a dia. Isso é muito bom.

 

Clubes de leitura

livros na estante

Para gostar de ler é fundamental também conversar sobre os livros, assim, procure pessoas que leem também e discuta os livros. Já se foi o tempo em que leitura era sinônimo de solidão, embora o ato seja solitário mesmo. Ler, porém, propicia um conhecimento tão grande que a vontade de compartilhar acontece naturalmente.

Hoje há muitos clubes de leitura que fazem essa função interativa. Além de proporcionar deliciosos debates sobre as leituras, é possível ainda fazer muitos amigos. Depois que me tornei uma leitora assídua, meu grupo de amigos se ampliou e conheci muitas pessoas ligadas aos livros, sejam elas virtuais ou presenciais. Os amigos leitores estimulam o prazer pela leitura e são ótimas companhias para dividir outros interesses.

Por fim, a partir do momento que a leitura te “pegar”, seria ideal começar a alçar novos voos e desafios. Estabeleça metas e aumente o tempo de leitura, escreva para memorizar e assim assimilar melhor o que se leu. É importante ler de tudo, porque a seletividade vem com o tempo, mas o fundamental é que se leia por prazer, por puro deleite.

Boas leituras.

*Cecilia Felippe Nery é jornalista e escreve para o blog www.leituraseobservacoes.blospot.com

 

E você? Como consegue #tempodeler ? Conte para a gente, participe do Concurso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *