Almada Negreiros é reapresentado aos leitores brasileiros com uma antologia que reúne diversas expressões do multiartista português

Por Milena O. Cruz e Renata de Albuquerque

Apesar de sua imensa importância nas artes do século XX, o multiartista português Almada Negreiros ainda não é tão conhecido no Brasil. Nascido em 1893, ele foi poeta, ficcionista, dramaturgo, filósofo,  pintor, desenhista e conferencista. Para preencher a lacuna de conhecimento sobre ele no país, a Ateliê Editorial acaba de lançar Poesia É Criação – Uma Antologia. A edição foi realizada com o apoio da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas/Portugal. O livro, lançado dia 8 de outubro em um evento na Livraria da Vila (São Paulo), foi organizado por Fernando Cabral Martins e Sílvia Laureano Costa, que falaram, juntos, sobre a experiência ao Blog da Ateliê:

Capa da antologia, lançada em 8 de outubro, em evento na Livraria da Vila, em São Paulo

Capa da antologia, lançada em 8 de outubro, em evento na Livraria da Vila, em São Paulo

Trabalho a quatro mãos

A “quatro mãos”, o trabalho passa por um diálogo sobre as opções e por uma divisão das tarefas. Trabalhamos juntos noutros projetos ligados ao Almada – quase se pode dizer que temos um entendimento tácito que nos aproxima e liberta de discussões supérfluas.

 

Escolhas

Quem elabora uma antologia sabe que tem de fazer escolhas. Quem lê uma antologia sabe que está perante uma seleção. Para escolher é necessário ir ao todo da obra literária (ou, pelo menos, ao conjunto da obra publicada). Se, depois de ler a antologia, o leitor ficar com vontade de conhecer mais textos de Almada Negreiros, então, o nosso desafio estará cumprido.

 

Ilustre desconhecido

Julgamos que Almada Negreiros precisa de ser novamente apresentado ao público brasileiro. Um artista esquecido é como um artista desconhecido. Há muitas maneiras de voltar a fazer esta apresentação, a edição de uma antologia é uma delas. Mas é necessário, depois, divulgar e promover a sua leitura junto das escolas e das universidades, por exemplo. Sendo um artista plural, seria necessário também organizar uma exposição retrospectiva que desse a conhecer a obra plástica de Almada. E desenvolver o conhecimento dos outros aspectos da sua obra multiforme.

 

Legado artístico

A sua é a poesia de um artista moderno, dedicada à expressão violenta das emoções e à criação constante de formas novas de as exprimir. Também se pode dizer que a importância do gênero poético é quantitativamente maior na primeira fase da sua obra. Depois disso, o teatro, a pintura e a filosofia numerológica e geométrica tomam o primeiro lugar.

 

Organização do livro

O tríptico que pretendemos criar no livro corresponde às três grandes fases que se podem definir na linha cronológica da vasta e heterogênea obra de Almada Negreiros: a primeira ligada ao momento revolucionário das Vanguardas, a segunda dedicada à construção e difusão da arte modernista, a terceira trilhando um caminho singular de artista, poeta, filósofo e performer. A organização do livro é cronológica, com uma exceção. Um dos textos, “O Meu Teatro”, foi escrito por Almada no final da sua vida para servir de prefácio ao volume de teatro das suas primeiras Obras Completas. Mas, nesta antologia, ele ficava muito bem no final da segunda parte, fora da cronologia, mas na sequência das duas peças de teatro antologiadas. Por vezes, as regras merecem a exceção.

 

Almada no mundo

Almada está já traduzido em várias línguas. Nos últimos anos, desde o centenário do seu nascimento, em 2013, tem havido um novo fôlego de edições internacionais. Saíram novos livros em Itália e na Noruega, por exemplo. Na Colômbia está no prelo uma antologia traduzida e nos EUA prepara-se também uma edição almadiana. Almada tem feito parte do programa de diversos colóquios internacionais em países como Brasil, EUA, Colômbia, Itália, Espanha, Inglaterra… (uns já aconteceram; outros estão agendados ainda para este ano). Estes eventos constituem importantes plataformas de discussão e partilha, cruciais para a difusão internacional do artista. Desde o final do ano passado, é possível conhecer uma parte significativa do espólio de Almada Negreiros, através do arquivo virtual disponível no site www.modernismo.pt. A internet é um veículo sem fronteiras, muito favorável à divulgação e ao estudo de um autor. Este projeto (ligado à Universidade Nova de Lisboa e aos herdeiros de Almada) tem ainda muito para crescer, mas acreditamos que é uma boa maneira de iniciar ou de aprofundar o conhecimento da obra de Almada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *