Daily Archives: 05/03/2015

Caminhos do Romance em Portugal: Camilo, Eça e o Folhetim Francês

caminhos-do-romanceObra propõe uma aproximação de dois escritores portugueses praticamente contemporâneos, Camilo Castelo Branco e Eça de Queirós, porém pouco estudados em perspectiva comparada. Além disso, apresenta uma análise nova e instigante, ao tratar de dois livros pouco estudados: Os Mistérios de Lisboa de Camilo, e O Mistério da Estrada de Sintra, de Eça e de seu amigo Ramalho Ortigão, ambos adaptados para o cinema, em Filmes dirigidos respectivamente por Raúl Ruiz (2007) e Jorge Paixão da Costa (2010).

Caminhos do Romance em Portugal: Camilo, Eça e o Folhetim Francês, escrito por Andréa Trench de Castro, outro lançamento da coleção Estudos Literários, da Ateliê Editorial, apresenta os dois principais escritores portugueses do século  em uma situação específica: no momento em que tentam se firmar num mercado literário pequeno, com um público mais habituado a ler traduções do que romances nacionais. Incorporando e transmutando em seus romances muito daquilo que fazia parte dos hábitos de leitura de seu público, conseguiram criar obras peculiares e ainda hoje interessantes.

Com base nos pressupostos teóricos do comparatismo histórico-literário e das transferências culturais, a autora relativiza a visão de que a literatura e a cultura francesas teriam representado para Portugal e seus escritores uma influência hegemônica e centralizadora, lançando um novo olhar sobre a produção inicial de Camilo e Eça e repensando alguns aspectos do romance-folhetim oitocentista produzido em Portugal.

“Com evolução bastante distinta, os estudos camilianos e queirosianos beneficiam enormemente de abordagens cruzadas como esta de Andréa Trench de Castro, cuja metodologia hermenêutica, ao deter-se diacrônica e criticamente sobre especificidades de duas obras do percurso inicial dos dois escritores centrais da literatura portuguesa oitocentista, apresenta um assinalável contributo para a renovação da crítica e da história literárias.” (José Cândido de Oliveira Martins – Universidade Católica Portuguesa – Braga / Portugal).

Conheça aqui todos os detalhes da obra Caminhos do Romance em Portugal.

Literatura e Memória Política – Angola. Brasil. Moçambique. Portugal

Obra reúne textos sobre ficcionistas cujas produções literárias enfatizam tensões sociais vividas, com narrativas marcadas pela memória e experiências empíricas

literatura-e-memória-política

Estudos Literários, Literatura e Memória Política, coletânea de ensaios organizada em torno da produção de escritores angolanos, brasileiros, moçambicanos e portugueses, e que traz uma contribuição para pensar politicamente as produções de nosso comunitarismo linguístico-cultural.

Organizado por Benjamin Abdala Junior e Rejane Vecchia Rocha e Silva, o livro traz ensaios de Laura Cavalcante Padilha (Da Certeza das Vidas Novas à História Real de um Amor Impossível), Regina Zilberman (Duas Viagensum Destino, Moçambique), Rosangela Sarteschi (Pepetela e O Quase Fim do Mundo), Tania Macêdo (O Império Colonial Português e sua Retórica), Benjamin Abdala Junior (Linguagem e Vida Social nos Romances de Graciliano Ramos), Eneida Leal Cunha (Jorge Amado Revisitado: Conflito e Familiaridade), Fabiana Carelli (Jorge dos Subterrâneos: Literatura, História e Política no Estado Novo), José Nicolau Gregorin Filho (Literatura Infantil/Juvenil e Política: Um Jogo de Espelhos), Rejane Vecchia Rocha e Silva (Quarup: As Utopias Revolucionárias dos Anos 1960 e 1970 ), Roberto Vecchi (As Potências da Claustrosofia: Limiares Políticos do Pensamento e da Literatura do Cárcere), Isabel Pires de Lima (Realismo e Política – O Caso de Alves Redol), Jane Tutikian (A Literatura e os Retratos de Duas Gerações), Margarida Calafate Ribeiro (Íntimos Fantasmas: Memórias de África na Literatura Portuguesa Contemporânea), Pedro Brum Santos (Escrita, História e Política em José Saramago), Vima Lia Martin (Representações da Tortura e da Morte em Dois Romances de Língua Portuguesa).

Literatura e Memória Política aproxima vozes que dentro e fora da ficção se encontram e se a firmam diante dos impasses de suas respectivas estruturas sociais, sempre tomadas em processo, dinamicamente. Pretende ser uma contribuição para as discussões em torno de realidades produzidas nas malhas da  ficção, que continuam a nos lembrar que estamos num universo tensionado por problemas em que pensar politicamente continua a ser fundamental. (Os organizadores)

Conheça aqui todos os detalhes da obra Literatura e Memória Política – Angola. Brasil. Moçambique. Portugal